Digam aos desanimados … não tenham medo; animem-se


Fortaleçam as mãos cansadas, deem firmeza aos joelhos fracos. Digam aos desanimados: “Não tenham medo; animem-se, pois o nosso Deus está aqui. Ele vem para nos salvar, ele vem para castigar os nossos inimigos.” Isaias 35.3,4 – II Rs 19.14-37

Senaqueribe = “homem de pecado” – “deus lua que faz aumentar o número de irmãos”. Representa Satanás, o deus deste mundo.

Ezequias, filho de Acaz, assumiu o reinado em seu lugar aos 29 anos e reinou pelo mesmo período. II Reis 18. “3 Seguindo o exemplo do seu antepassado, o rei Davi, Ezequias fez aquilo que agrada a Deus, o Senhor. .. 5 Ezequias confiou no Senhor, o Deus de Israel; Judá nunca teve um rei como ele, nem antes nem depois daquela época. 6… guardou cuidadosamente todos os mandamentos que o Senhor Deus tinha dado a Moisés. 7 Por isso, o Senhor estava com ele, e ele teve sucesso em tudo o que fez. Ezequias se revoltou contra o rei da Assíria e não quis ser dominado por ele.”

O rei Acaz tinha Desprezado os conselhos de Isaias e fez aliança política com a Assíria (II Rs 16.7), e desde então passou a pagar tributos para os Assírios.

A situação chegou ao extremo. O povo não suportava as cargas tributárias e humilhação diante dos inimigos e então Ezequias dá o primeiro passo para a vitória. II Rs 18.7  “Ezequias se revoltou contra o rei da Assíria e não quis ser dominado por ele.”

Nem sempre é fácil tomar decisões. Por isso a maioria das pessoas prefere pagar tributos a ter que lutar por mudanças. Ezequias chegou a seguinte conclusão: “Chega de pagar tributos ao inimigo”

O retrato atual da Igreja: caminhando com medo, intimidade, favorecendo o mundanismo no seu meio, líderes com receio de se levantar com ousadia e dar nome de pecado ao que está acontecendo, musica pagã, interesses econômicos, etc…

O inimigo nunca desiste em querer vê-lo derrotado. No 4º ano de Ezequias os Assírios invadem Samaria/ Israel e no 6º ano a conquistam. No 14º ano invadem as cidades muradas de Judá e tomam posse delas, trazendo de volta o desespero, vergonha, medo e humilhação ao povo de Judá.

Ezequias busca aliança com o inimigo e se diz disposto pagar para que o deixem em paz. II Rs 18.14 “Ezequias mandou uma mensagem a Senaqueribe, que estava em Laquis. A mensagem foi esta: Eu errei. Por favor, saia do meu país, que eu pagarei tudo o que o senhor exigir.”

Fazer aliança com o inimigo custa caro. Os Assírios cobraram caro para deixar Ezequias em Paz II Rs 18. 14-16 “O rei mandou uma resposta, dizendo que Ezequias devia lhe mandar dez mil quilos de prata e mil quilos de ouro.”

O inimigo queria todo o tesouro do reino, inclusive o que era do Senhor. Vs 15,16 “Então Ezequias mandou para ele toda a prata do Templo e do tesouro do palácio. Ele também arrancou o ouro das portas do Templo e o ouro com que ele mesmo havia revestido os batentes e mandou tudo para Senaqueribe.”

O inimigo questiona a determinação de Ezequias em confiar inteiramente no Senhor. II Rs 18.17-22 “ … Em que você está baseando a sua confiança? 20Você está pensando que as palavras podem tomar o lugar da experiência militar e da força? Quem você pensa que vai ajudá-lo na sua revolta contra o rei da Assíria? Por acaso, você vai me dizer que confia no Senhor, seu Deus?”

O inimigo subestima os valentes de Judá – II Rs 18.22-25 “… Eu lhe darei dois mil cavalos se você puder arranjar homens suficientes para montá-los. Você não poderia vencer nem o oficial assírio menos graduado …”

O inimigo afirma ter legalidade de Deus para agir contra Ezequias. Seu alvo: Intimidar o povo e os líderes. II Rs 18.25 “Você pensa que eu ataquei e destruí o seu país sem a ajuda de Deus, o Senhor? Foi ele mesmo quem me mandou atacá-lo e destruí-lo!”

O inimigo faz questão que os outros saibam das suas fraquezas, seu objetivo é expor você diante do povo, II Rs 18.26,27 “Então Eliaquim, Sebna e Joá disseram ao oficial: – Fale em aramaico, pois nós entendemos. Não fale em hebraico, pois todas as pessoas que estão nas muralhas estão escutando… Eu estou falando também com as pessoas que estão sentadas nas muralhas e que terão de comer as suas próprias fezes e beber a sua própria urina; e vocês também vão fazer isso.”

O inimigo coloca as pessoas contra você, a fim de enfraquecê-lo, II Rs 18.28,29,30 “Ele mandou avisar que não deixem que Ezequias os engane, pois ele não poderá salvá-los. E não deixem que ele os convença a confiar em Deus, o Senhor. Não pensem que o Senhor os salvará e não deixará que o nosso exército assírio conquiste a cidade de vocês.”

O inimigo vai tentar culpa-lo pelas situações ruins que o povo passa. II Rs 18.31,32 “Se fizerem o que ele está mandando, vocês não morrerão, mas viverão. Não deixem que Ezequias os engane, fazendo vocês pensarem que o Senhor vai salvá-los.”

A resposta do povo foi o silêncio. II Rs 18.36 “Mas o povo ficou calado, de acordo com a ordem do rei Ezequias; eles não disseram nem uma só palavra.”

A resposta de Ezequias foi a oração. II Rs 19.1 “Assim que o rei Ezequias ouviu o que eles contaram, rasgou as suas roupas em sinal de tristeza, vestiu uma roupa feita de pano grosseiro e foi para o Templo de Deus, o Senhor.”

Ezequias tinha sonhos e esperanças, v 3 “Hoje é um dia de sofrimento; nós estamos sendo castigados e estamos envergonhados. Somos como uma mulher que está para dar à luz, mas não tem forças para isso.”

O rei da Assíria manda um ultimato, envia a ezequias uma carta pedindo a sua rendição, v.11 “Você já ouviu falar daquilo que um rei assírio faz com qualquer país que ele resolve destruir? Por acaso, você pensa que poderá escapar?”

Ezequias recebe a carta e a apresenta a Deus, em oração, v. 14 “O rei Ezequias recebeu a carta das mãos dos mensageiros e a leu. Então foi até o Templo, pôs a carta ali, na presença de Deus, o Senhor,e orou …”

A mensagem de Isaías para Ezequias traz refrigério e segurança, v. 20-27, o Senhor diz ao inimigo “… farei você voltar pelo mesmo caminho por onde veio.”

A promessa de Deus incluía 3 anos proféticos para Judá, v.29-32: 1º e 2º ano “vocês terão para comer somente aquilo que nascer por si mesmo, sem ser plantado.”;  3º ano “vocês poderão semear e colher cereais, plantar parreiras e comer as uvas.”

A garantia que Deus dá aos seus escolhidos, v. 32-34 “… – Portanto, o Senhor Deus diz o seguinte a respeito do rei da Assíria: “Ele não entrará nesta cidade e não atirará uma só flecha contra ela. Nenhum soldado com escudo chegará perto da cidade, e não serão construídas rampas de ataque ao redor dela. O rei da Assíria vai voltar pelo mesmo caminho por onde veio, sem ter entrado nesta cidade. Eu defenderei e protegerei esta cidade por causa da minha honra e por causa da promessa que fiz ao meu servo Davi. Eu, o Senhor, falei.”

A vitória para Ezequias e Judá veio no momento de Deus, v.35,36  “Naquela noite o Anjo do Senhor foi até o acampamento dos assírios e matou cento e oitenta e cinco mil soldados. De manhã, os que sobraram viram os corpos dos mortos. Então Senaqueribe, rei da Assíria, se retirou, voltou para Nínive e ficou lá.”

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s