O tempo está cumprido!


Marcos 1.15 (RA) “dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho.”

Por muitos tempos os hebreus aguardavam a chegada de um redentor. Muitos acreditavam que esse redentor viria para livrá-los do domínio de Roma e devolver a liberdade à Nação israelense. Durante o tempo de espera surgiram inúmeros Messias que falharam em suas missões.

Quando João Batista surgiu pregando no deserto parecia que ele seria mais desses líderes dispostos a iniciar uma rebelião civil, mas o que se vê é um homem solitário pregando uma mensagem de arrependimento no deserto para aqueles que se aventuravam em segui-lo. Dentre seus seguidores surge Jesus de Nazaré, que vem a Ele para ser batizado.

João vê o Espírito Santo descer sobre Jesus e testemunha que Ele é o cordeiro de Deus esperado por muitas gerações, que tira o pecado do mundo. João encerra sua carreira na prisão e Jesus inicia o seu ministério declarando que o ‘tempo está cumprido’. Muitas pessoas o seguem e acreditam que Ele é o Salvador político de Israel.

Mas, Jesus não veio para implantar um reino político, temporal e humano. Na verdade o reino que Jesus estava para implantar era espiritual, por isso declarou que ‘o reino de Deus’ estava chegando.

Esse reino não seria visível, conquistado através de guerras, disputas eleitoreiras ou religiosas. É um reino que não depende de políticas humanas para sua implantação. Se alguém desejar, poderá tornar-se cidadão desse reino. O processo não é complicado, não requer documentação específica, não exige experiência, cartão de crédito, tratados governamentais. Esse reino só depende da autorização de quem o deseja – VOCÊ!

Eu quero ser parte desse reino. O que devo fazer? Arrepender-se.

Arrepender-se do quê?

Certa vez um homem muito rico foi ter com Jesus (Lucas 18.18-23) querendo saber sobre o que fazer para herdar a vida eterna. Aquele homem era um cumpridor de toda a lei, mas quando Jesus lhe disse para abrir mão da sua riqueza e doá-la aos pobres, ele se retirou triste porque possuía muitas propriedades. Essa lição mostra que religiosidade não é sinônimo de arrependimento. A avareza é um pecado do qual devemos nos arrepender.

Há outras coisas das quais devemos nos arrepender, conforme escreve o apóstolo Paulo na carta aos romanos (1.29-31) e na carta aos Gálatas (5.19-21): perversidade, maldade, ganância, vícios, ciúmes, crimes de mortes, brigas, mentiras, malícia, calúnias, ódio, insolência, arrogância, vaidade sem controle, desobediência aos pais, imoralidade, ausência do amor e piedade, deslealdade, ações indecentes, idolatrias, feitiçarias, inimizades, ambição egoísta, desunião, divisões, invejas, bebedeiras, falta de domínio próprio.

Jesus conclui sua mensagem afirmando que não basta à pessoa gerar um sentimento de arrependimento. É necessário substituir a natureza pecaminosa pela presença santa de Jesus Cristo. Como isso é possível? Através da fé no evangelho, que quer dizer, boas novas.

As boas novas que Jesus nos traz é que “Deus nos amou” e que todo aquele que crê em Jesus Cristo será salvo. VOCÊ CRÊ?

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s