Perseguidos por causa da justiça!


Mateus 5.10 – “Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.” (RA)

O Sermão da Montanha foi pronunciado por Jesus para três grupos de pessoas: os pobres desamparados e injustiçados; os religiosos omissos; os políticos opressores.

Esses três grupos de pessoas sempre estavam presentes nas reuniões de Jesus para ouvi-lo. Os primeiros porque esperavam que Ele fosse restaurar o Reino dos Hebreus do domínio romano; o segundo na maioria porque procuravam encontrar uma falha que pudessem acusá-lo de heresia e assim se livrar dele e suas mensagens; o terceiro grupo queria apenas manter a ordem e evitar um possível confronto que pudesse provocar uma rebelião popular contra o Império.

Enfim, independente dos motivos, todos ouviram a mensagem de Jesus e tiveram a oportunidade para mudarem suas vidas. Do mesmo modo, desejo que essas palavras possam provocar alguma mudança em sua vida para melhor.

As Nações estavam sob o domínio do erro, onde os poderosos oprimiam os fracos. As Leis eram desrespeitadas ou interpretadas à revelia. O sistema estava dominado pela impiedade e ilegalidade. Muitas pessoas aceitavam o jugo da opressão para evitar a morte.

Nesse contexto, Jesus conclama as pessoas humildes, símplices, de bom coração para lutarem, mas lutarem contra o que? Eles não possuíam armas capazes de deter grandes exércitos. Porém, a luta que Jesus se refere não é por um reino humano, mas pelo Reino Eterno de Deus. A batalha consiste em praticar a justiça conforme os padrões divinos, contrapondo-se aos padrões humanos reinantes.

O Reino que Jesus apresenta não é governado por homens. Nesse Reino, os interesses, religiosidade, orgulho e vaidade são deixados de lado e o próprio Deus através do seu Espírito rege o coração e mente das pessoas, conduzindo-as em sua perfeita vontade. Como isso é possível? O que significa ser justo ou praticar a justiça aos olhos de Deus?

Muitas pessoas carregam essa dúvida. Para Nicodemos Jesus disse que era necessário ‘nascer de novo’; para a mulher a samaritana Ele disse que ‘deveriam adorar a Deus em espírito e em verdade’. Portanto, não se trata de cumprir obrigações legais como recolher impostos, pagar as contas, trabalhar honestamente, ser um bom cônjuge ou filho (a), etc.

A verdadeira justiça é a transformação operada pelo Espírito de Deus no interior de cada pessoa, mediante a fé em Jesus Cristo. Deus leva mais em conta aquilo que pensamos do que aquilo que praticamos. O amor deve ser verdadeiro; a honestidade deve ser uma qualidade e não apenas obrigação; a maior recompensa não é terrena, mas eterna e invisível; a esperança dos justos não se baseia no secular e mundano, mas na eternidade que virá após a morte.

Algumas pessoas temem qualquer tipo de perseguição. Outros no intuito de preservar sua identidade agem falsamente quando deflagrados. Não é assim com os verdadeiros justos. Para Jesus, se alguém deseja se tornar um cidadão do Seu Reino deve manter firme sua posição como baluarte da justiça, porque ‘deles é o reino dos céus’.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s