Somos o perfume de Cristo


Perfume.II Coríntios 2.14-17 NTLH
14 Mas dou graças a Deus porque, unidos com Cristo, somos sempre conduzidos por Deus como prisioneiros no desfile de vitória de Cristo. Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas.

15 Porque somos como o cheiro suave do sacrifício que Cristo oferece a Deus, cheiro que se espalha entre os que estão sendo salvos e os que estão se perdendo.

16 Para os que estão se perdendo, é um mau cheiro que mata; mas, para os que estão sendo salvos, é um perfume muito agradável que dá vida. Então, quem é capaz de realizar um trabalho como esse?

17 Nós não somos como muitas pessoas que entregam a mensagem de Deus como se estivessem fazendo um negócio qualquer. Pelo contrário, foi Deus quem nos enviou, e por isso anunciamos a sua mensagem com sinceridade na presença dele, como mensageiros de Cristo.

Pela manhã de hoje concluímos mais um ciclo de aulas dominicais sob o tema ‘Parábolas na Bíblia’. No último encontro abordamos algumas recomendações paulinas que servem de alerta à igreja de Cristo, dentre os assuntos abordados gostaria de destacar 5 verdades que aprendemos nas cartas apostólicas:

1º – O perigo do liberalismo e do legalismo. Ambos são perniciosos e podem causar estragos à vida diária da igreja.
Em I Coríntios 5.6b e Gálatas 5.9b, o apóstolo Paulo declara que “Um pouco de fermento fermenta toda a massa”. A tolerância e aceitação do erro pela igreja pode contaminá-la e destruí-la, do mesmo modo que santidade extremista baseada em concepções humanas podem causar perdas irreparáveis.

2º – A luz deve prevalecer sobre as trevas. Fomos alertados sobre os perigos que enfrentamos em tempos de trevas. O mundo está totalmente obscurecido pelos poderes das trevas, a igreja é a única luz que brilha nas trevas.
Paulo lembrou os irmãos romanos (13.11-14) que a “noite está terminando, e o dia vem chegando”. Significa que a igreja de Cristo é uma luz que deve brilhar. O mundo só irá enxergar essa luz se vivermos como pessoas que estão na luz que é Jesus.

3º – Somos soldados de Cristo em batalha. Em Efésios 6.11-17 lemos o conselho de Paulo para que os cristãos se revistam de toda a armadura de Deus. Mas, revestidos para o quê?
Versos 13 a 17: “Por isso peguem agora a armadura que Deus lhes dá. Assim, quando chegar o dia de enfrentarem as forças do mal, vocês poderão resistir aos ataques do inimigo e, depois de lutarem até o fim, vocês continuarão firmes, sem recuar. 14 Portanto, estejam preparados. Usem a verdade como cinturão. Vistam-se com a couraça da justiça 15 e calcem, como sapatos, a prontidão para anunciar a boa notícia de paz. 16 E levem sempre a fé como escudo, para poderem se proteger de todos os dardos de fogo do Maligno. 17 Recebam a salvação como capacete e a palavra de Deus como a espada que o Espírito Santo lhes dá.
Um soldado obedece às ordens do seu comandante e não se envolve em questões alheias: II Timóteo 2.4 – “Pois o soldado, quando está servindo, quer agradar o seu comandante e por isso não se envolve em negócios da vida civil.”

4º – Somos como um atleta numa competição para vencer (II Tm 2.5; 4.7). Isso implica na obediência às regras da competição e foco no alvo principal, que é o prêmio da chegada.
O pecado é o grande obstáculo que precisamos vencer diariamente para alcançarmos o prêmio. Hebreus 12.1 – “Assim nós temos essa grande multidão de testemunhas ao nosso redor. Portanto, deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e o pecado que se agarra firmemente em nós e continuemos a correr, sem desanimar, a corrida marcada para nós.”

5º – Somos como perfume que exala o cheiro de Cristo – II Coríntios 2.14-17. Algumas verdades que encontramos nesse texto sagrado:

5.1 – Unidos com Cristo (v.14) – A nossa união não é política, partidária, profissional, social, econômica, filantrópica, por afinidades, etc. Somos unidos por uma causa maior que todas as demais – Jesus Cristo.

Somos divergentes em inúmeros aspectos, mas quando se trata de Jesus Cristo, somos unidos. Sobre Jesus pensamos de modo igual – Ele é o caminho, a verdade e a vida, o único que pode nos reconciliar com Deus.

5.2 – Conduzidos por Deus como prisioneiros no desfile de vitória de Cristo (v.14) – Essa é uma expressão encontrada somente na NTLH. No triunfo romano quando retornavam da guerra, os prisioneiros eram alinhados e presos uns aos outros para evitar fuga, durante a marcha pela cidade. Estima-se que nessa época 30% da população romana era de escravos, os escravos era despojado de todo direito, seu dono possuía o direito sobre a sua vida e a sua morte.
Que bela representação da nossa condição diante de Deus. Nós somos totalmente entregues, vivendo incondicionalmente sob a vontade de Deus.

5.3 – Somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas. Deus nos uniu e nos tornou sua propriedade com um propósito, tornar Cristo conhecido das pessoas. Paulo continua no verso 15: “Porque somos como o cheiro suave do sacrifício que Cristo oferece a Deus, cheiro que se espalha entre os que estão sendo salvos e os que estão se perdendo.”
O nosso testemunho representa esse cheiro que se espalha. Por onde andamos devemos exalar o perfume de Cristo, o mundo deve enxerga-lo através de nós.
Esse cheiro incomoda aqueles que estão se perdendo, o mundo não gosta do evangelho e odeia Jesus porque não podem viver a santidade de Jesus.
Só quem conhece e compreende o evangelho de Jesus Cristo, é capaz de se agradar do perfume que a igreja exala. Como afirma Paulo (v 16) “para os que estão sendo salvos, é um perfume muito agradável que dá vida.” Portanto, a igreja deve exalar vida e vida com abundância em Jesus.

5.4 – A pergunta de Paulo revela a sua preocupação com a capacidade da igreja em ser o que Deus pretende que ela seja (v.16b): Então, quem é capaz de realizar um trabalho como esse? O problema diz respeito a nossa identidade como igreja.

a) Estamos todos preparados para representar Jesus em nossas vidas?
b) Qual a mensagem que estamos transmitindo para as pessoas?
c) O mundo sente o cheiro de Cristo em nós?

Paulo conclui dizendo que alguns problemas que ocorrem em nosso tempo, já aconteciam naquela época. Os falsificadores já atuavam, muitos comercializam o evangelho, buscando seu próprio proveito, as ‘pequenas igrejas e grandes Negócios’ já funcionavam naquela época, os líderes irresponsáveis que agiam como se o evangelho fosse um ‘bom negócio’ já existiam naquela época. Paulo se defende afirmando (v.17a) – “Nós não somos como muitas pessoas que entregam a mensagem de Deus como se estivessem fazendo um negócio qualquer.”
Paulo fala sobre o verdadeiro ofício da igreja de Cristo (v.17b)– “Pelo contrário, foi Deus quem nos enviou, e por isso anunciamos a sua mensagem com sinceridade na presença dele, como mensageiros de Cristo.”

Eu concluo essa mensagem com uma pergunta:
Qual o tipo de igreja que somos?

Quem é de Cristo entende que irá enfrentar desafios, provações e perseguições, mas no final de sua jornada será recompensado pelo Senhor.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s