Timóteo o sucessor de Paulo


Paulo e TimoteoO processo sucessório é sempre complicado. Muitas organizações sofrem quando seus líderes principais se aposentam ou morrem; a disputa pela sucessão, a continuidade de uma filosofia ou visão são comprometidas quando o sucessor não segue os mesmos princípios que o antecessor.

Se Jesus não tivesse formado um grupo para sucedê-lo após a crucificação dificilmente a igreja teria sobrevivido ao primeiro século. Do mesmo modo, se os apóstolos não tivessem investido na preparação da outra geração de apóstolos provavelmente  o evangelho não teria chegado até nós. Por isso, nós líderes atuais devemos pensar seriamente sobre o futuro da igreja e a formação dos novos líderes que serão responsáveis pela propagação do Evangelho às próximas gerações.

Vamos estudar um pouco sobre o perfil do sucessor de Paulo, o jovem chamado Timóteo.

  1. Seu pai era grego e descrente, a sua mãe Eunice (judia) e sua avó Loide eram crentes (Atos 16.1; II Tm 1.5);
  2. Ele se converteu ainda jovem através do Ministério de Paulo. Provavelmente na primeira viagem missionária, onde Paulo foi apedrejado, em Listra, cidade natal de Timóteo (Atos 14.19-20; I Tm 1.2);
  3. Ele recebeu a consagração ministerial através da imposição das mãos de Paulo (II Tm 1.6). Também recebeu oração por imposição de mãos pelos presbíteros, na ocasião ele foi revestido com um dom espiritual (I Tm 4.14);
  4. Na segunda viagem missionária de Paulo à Listra, ele levou consigo Timóteo. A partir de então teve início a carreira de Timóteo, um dos maiores ministérios apostólicos do primeiro século;
  5. Ele foi a Troas, Filipos, Tessalonica e Bereia. Em Bereia ele permaneceu com Silas por um longo período, dando a entender que o povo a amou demais, até que Paulo ordenou que eles fossem logo para Atenas (At 17.14,15);
  6. Paulo também o enviou para pregar em Tessalonica (I Ts 3.6). Ele ajudou Paulo a escrever as cartas aos tessalonicences (I Ts 1.1; II Ts 1.1), mais tarde também o ajudou a escrever a segunda carta aos coríntios (II Co 1.1,19);
  7. Ele era uma pessoa de inteira confiança de Paulo, enviado para algumas missões específicas aos coríntios (I Co 4.17; 16.10) e provavelmente aos filipenses (Fp 2.19-24);
  8. Ele viajou, acompanhou e permaneceu com Paulo durante o seu julgamento em Jerusalém. Ele foi com Paulo como Josué foi com Moisés, ao lado de Paulo ele aprendeu muito sobre o ministério pastoral (At 20.4; Fp 1.1; 2.19-22; Cl 1.1; Fl 1);
  9. É bem provável que ele tenha sido preso com Paulo, em Hebreus 13.23 menciona a sua soltura;
  10. Quando Paulo estava em seu martírio final, convidou a Timóteo para que viesse de Éfeso à Roma para visitá-lo (II Tm 4.9). Não há relatos bíblicos confirmando a ida de Timóteo à Roma visitar Paulo;
  11. Em sua época a igreja sofria fortes perseguições e seguir uma carreira ministerial era um grande desafio;
  12. Ele suportou a doença física e fraqueza, serviu como bispo dos pastores. Nessa época os pastores tinham pouca cultura e a pobreza era gigantesca, não haviam templos construídos, uma condição totalmente oposta as igrejas atuais;
  13. Timóteo enfrentou o preconceito por ter dupla nacionalidade (judeu e grego). A fé de Timóteo o mantinha em pé, firmado nas promessas de Deus;
  14. As oportunidades na vida de Timóteo se assemelham as atuais. Ele fez parte do início da história da igreja;
  15. Depois que Paulo morreu, a igreja em Éfeso permaneceu sob a supervisão de Timóteo até a sua morte, no reinado de Nerva ou Domício.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s