Lágrimas que produzem alegrias


 

lagrimasSalmos 126.1-6: Quando o SENHOR Deus nos trouxe de volta para Jerusalém, parecia que estávamos sonhando. 2 Como rimos e cantamos de alegria! Então as outras nações disseram: “O SENHOR fez grandes coisas por eles!” 3 De fato, o SENHOR fez grandes coisas por nós, e por isso estamos alegres. 4 Ó SENHOR, faze com que prosperemos de novo, assim como a chuva enche de novo o leito seco dos rios. 5 Que aqueles que semeiam chorando façam a colheita com alegria! 6 Aqueles que saíram chorando, levando a semente para semear, voltarão cantando, cheios de alegria, trazendo nos braços os feixes da colheita.

Esse salmo de autoria desconhecida é chamado de a canção dos peregrinos. Provavelmente foi escrito na época de Esdras e Neemias e se divide em três partes como veremos:

  1. O autor encoraja aqueles que voltaram do Cativeiro que sejam gratos e reconheçam a grandeza de Deus, versos 1 a 3.

Durante o período de cativeiro, vivendo sob o jugo de outro rei, o povo pendurou suas harpas nos salgueiros, pois não havia motivos para celebrações. Agora, com a saída do cativeiro, eles pegam novamente as suas harpas e voltam a tocá-las e dançar com alegria.

O momento pós cativeiro é de celebração, risos e canções alegres. Eles estão vivendo como se fosse um sonho, enfim conquistaram a liberdade tão desejada. A palavra que Jó ouviu quando estava sendo provado reflete a condição atual do povo (Jó 8.20-22) – Esteja certo de que Deus não abandona as pessoas honestas, nem dá a mão para ajudar os maus. 21 Ele fará você rir de novo e dar gritos de alegria; 22 mas os seus inimigos vão viver na confusão, e as casas dos maus serão destruídas.

O testemunho do povo rompeu suas fronteiras, as Nações ouvem falar do que Deus fez por eles e testemunham a grandeza desse feito. O povo de Israel confirma que realmente foram coisas grandes o que o Senhor fez com eles, o sofrimento é posto de lado e eles estão alegres. Essa alegria do povo se assemelha ao que Paulo declarou quando aceitou a Cristo, Gálatas 2.20 – Assim já não sou eu quem vive, mas Cristo é quem vive em mim. E esta vida que vivo agora, eu a vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se deu a si mesmo por mim.

  1. O autor revela a desejo do povo por uma restauração completa, verso 4.

Alguns israelitas ainda estavam no cativeiro, os que saíram encontraram a Nação destruída entre escombros e tomada por inimigos, veja Neemias 1.3 – Eles me contaram que aqueles que não tinham morrido e haviam voltado para a província de Judá estavam passando por grandes dificuldades. Contaram também que os estrangeiros que moravam ali por perto os desprezavam. Disseram, finalmente, que as muralhas de Jerusalém ainda estavam caídas e que os portões que haviam sido queimados ainda não tinham sido consertados.

 “Faze com que prosperemos de novo …” – que bela descrição do desejo daquele povo em ser restaurado. Eles queriam definitivamente apagar o período de vergonhas e de humilhações que passarem e recuperar todas as bênçãos do Senhor sobre eles. Essa é uma oração sincera daquele que crê nas promessas do Senhor e as reivindica. Eles não querem apenas a liberdade, eles desejam desfrutar das promessas de Deus.

“… como a chuva enche de novo o leito seco dos rios” – O período que eles estão atravessando não é perfeito, alguns estão livres, mas falta a restauração total da Nação. A benção do Senhor deveria ser completa. Essa deve ser a confiança e esperança de todo cristão.

  1. O autor incentivo o povo a perseverar, versos 5 a 6.

5-6 – Que aqueles que semeiam chorando façam a colheita com alegria! 6 Aqueles que saíram chorando, levando a semente para semear, voltarão cantando, cheios de alegria, trazendo nos braços os feixes da colheita.

Eles tinham que reconstruir toda a Nação, não adiantava ficar parados e chorando, era preciso agir. Com profunda tristeza, um coração apertado, olhos cheios de lágrimas, nada poderia impedi-los de semear a terra e recomeçar. Assim como a chuva molha o solo e traz fertilidade, as lágrimas na vida do cristão produzem feixes de alegria.

Algumas vezes nós produzimos lágrimas em nossa jornada de fé. Lágrimas de tristeza pelo nosso pecado e dos outros; lágrimas por pessoas que conhecemos e que estão sofrendo; as lágrimas são necessárias para que se produza alegria. Muitos homens e mulheres na Bíblia passaram por vales de lágrimas, sofreram até alcançar a promessa.

As suas lágrimas não podem te impedir de seguir em frente. Eclesiastes 11.6 – Semeie de manhã e também de tarde porque você não sabe se todas as sementes crescerão bem, nem se uma crescerá melhor do que a outra.

Você tem a promessa de Deus sobre a tua vida. O primeiro passo foi dado quando você saiu do cativeiro, as lágrimas te fazem pensar que não está valendo a pena, mas você sabe quem é o teu Deus e do que ele é capaz. Isaias 49.3-5 – Ele me disse: “Israel, você é o meu servo, e por meio de você vou mostrar a minha grandeza.” 4 Mas eu pensei: “Todo o meu trabalho não adiantou nada; todo o meu esforço foi à toa.” Mesmo assim, eu sei que o Senhor defenderá a minha causa, que o meu Deus me recompensará. 5 Quando eu ainda não havia nascido, o Senhor me escolheu para ser o seu servo a fim de que eu reunisse o seu povo e o trouxesse de volta para ele. Sou muito estimado pelo Senhor; o meu Deus é a minha força.

Jesus Cristo é o maior exemplo de sofrimento e de perseverança na Bíblia, Hebreus 12.3: Pensem no sofrimento dele e como suportou com paciência o ódio dos pecadores. Assim, vocês, não desanimem, nem desistam

Toda batalha tem um final, o teu será de alegria. Todo esforço desprendido no plantio das sementes, sob sol ou chuva, sorrindo ou chorando, valerá a pena. A recompensa é para aqueles que perseveram até o final.

Para Deus a lei da semeadura funciona. O que você plantar hoje irá colher no futuro, há um tempo que é necessário para que suas sementes possam germinar e crescer. Eu acredito que muitas sementes que plantamos hoje terão seus resultados descobertos na eternidade quando ouviremos a voz do Senhor dizendo (Mateus 25.34) – “…Venham, vocês que são abençoados pelo meu pai! Venham e recebam o Reino que o meu pai preparou para vocês desde a criação do mundo”

Só colherão bons resultados aqueles que forem capazes de preservar, Gálatas 6.9 – Não nos cansemos de fazer o bem. Pois, se não desanimarmos, chegará o tempo certo em que faremos a colheita.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s