Qual é a tua decisão?


Lucas 15.11-13: E Jesus disse ainda: – Um homem tinha dois filhos. 12 Certo dia o mais moço disse ao pai: “Pai, quero que o senhor me dê agora a minha parte da herança.” – E o pai repartiu os bens entre os dois. 13 Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntou tudo o que era seu e partiu para um país que ficava muito longe. Ali viveu uma vida cheia de pecado e desperdiçou tudo o que tinha.

A parábola do filho pródigo mostra duas situações comuns em nossa época:

  • O filho que deseja sair da casa dos pais para viver a sua própria vida;
  • O filho que se sente confortável morando com os pais.

 

GERAÇÃO DE DESBRAVADORES

O mais novo tem espírito aventureiro, quer desbravar o mundo desconhecido, ter novas experiências, novas amizades e fazer as suas próprias escolhas. Ele representa o grupo de filhos que tomam decisões sem medir consequências, não há qualquer estudo de caso ou planejamento sobre o que fazer distante da casa do pai. O que importa para ele é se divertir, curtir a vida enquanto é jovem.

Algumas razões que leva um filho sair de casa:

  • Quando não há atenção ou demonstração de amor pelos pais. Geralmente quando os filhos atingem determinada idade os pais esquecem que eles continuam filhos e passa a trata-los como estranhos;
  • Desejo de viver livremente sem a supervisão ou vigilância dos pais;
  • A intolerância com o autoritarismo dos pais;
  • Opiniões divergentes relacionadas a valores, crenças e conceitos sobre a vida;
  • Ambiente familiar hostil.

A liberdade conquistada por morar distante dos pais permite ao filho agir por conta própria, porém traz consigo algumas responsabilidades onerosas (pagar contas, auto proteção, solidão, etc.).

 

GERAÇÃO CANGURU

O filho mais velho faz parte da Geração Canguru, não deseja sair de casa tão cedo, encontra-se numa zona confortável onde tudo o que deseja está a seu alcance, não há preocupações com o futuro pois o pai é quem decide por ele. Algumas características dessa geração:

  • 24,3% dos Jovens entre 25 a 34 anos ainda vivem com pais, sendo 60% do sexo masculino;
  • Censo de 2012 – 19,6% dos jovens entre 15 a 29 anos não estudavam ou trabalhavam, sendo 70,3% mulheres;
  • Enquanto permanecem na casa dos pais a maioria prefere estudar, profissionalizar e viajar. Geralmente economizam dinheiro com moradia, alimentação, etc.;
  • Sentem-se protegidos contra a violência externa, muitos ainda têm seus pais como super-heróis.

TOMANDO DECISÕES

Não iremos discutir sobre qual dos filhos tinha razão: o que saiu da casa do pai ou o que decidiu permanecer com o pai. Porém, o que o mais novo desconhecia as consequências que trariam a sua decisão e escolhas futuras.

No início tudo vai bem, ele faz novas amizades, conhece lugares novos e muitas diversões. O mundo desse jovem parece maravilhoso e se assemelha ao que muitos vivem atualmente, infelizmente todo glamour tem prazo de validade.

Muitos pregadores condenam a atitude do filho mais novo. Eu prefiro olhar a coragem desse jovem que não quis o mesmo destino que o seu irmão mais velho, ele não quis se tornar um canguru preso a bolsão paterno, ele desejou ser diferente.

Ele foi capaz de tomar uma decisão, embora as escolhas posteriores não tenham sido boas. Não teve medo de encarar o novo e explorar o desconhecido. Eu não vejo nesse jovem o desejo de sair da casa do pai para roubar, matar ou se auto destruir, o que ele fez estava correto, ele não pediu além do que era seu direito.

Qual foi o seu erro? O ERRO NÃO FOI A SUA DECISÃO, MAS AS ESCOLHAS QUE SUCEDERAM A DECISÃO. Na vida você pode tomar uma boa decisão e em seguida fazer péssimas escolhas. Vejamos a diferença entre decisões e escolhas:

  • Decisão se relaciona a momentos que definem o rumo da sua vida (casamento, profissão, etc.), e se baseiam na lógica, emoção, experiência, etc.;
  • A escolha ocorre quando no caminho da decisão você precisa optar entre uma coisa e outra;
  • O filho mais novo tomou a decisão de sair da casa dos pais; no caminho fez escolhas ruins que o levou a ruina;
  • Exemplo: Você decidiu servir a Cristo; a escolha entre ser um bom cristão depende de você. Por isso há tantas pessoas que se dizem cristãos e não correspondem a verdadeira identidade do evangelho.

O mais importante na história do filho pródigo é o amor do seu pai por ele mesmo distante. Enquanto ele faz as suas escolhas e gasta todos os seus bens, o seu pai continua o amando e esperando o seu retorno.

TODOS NÓS TEMOS UM POUCO DA HISTÓRIA DO FILHO PRÓDIGO. A decisão de Adão e Eva afastou a humanidade de Deus. Desde a queda no Éden as pessoas têm feito suas escolhas, muitas delas na tentativa de se reaproximar de Deus através de sacrifícios de animais, ritos, cultos, etc. Mas, nenhuma dessas escolhas foi capaz de trazer as pessoas de volta para Deus. Porém, o amor de Deus continuou impecável por cada ser humano, independente das suas escolhas.

Um dia Deus tomou a decisão de mudar a história da humanidade concedendo-lhes uma nova chance de reconciliar. A decisão divina trouxe Jesus ao mundo e através do seu sacrifício o portal da graça se abriu para a humanidade; esse portal está aberto desde então, depende de nós escolher a graça de Deus ou permanecer no pecado.

Quando o filho mais novo percebeu que as suas escolhas não eram sensatas ele tomou uma nova decisão que iria mudar a sua vida novamente. Ele escolheu falar com o seu pai, pedir perdão e tentar a sorte como um dos seus trabalhadores. A SUA DECISÃO FOI SEGUIDA POR UMA ESCOLHA:

  • Decisão: Vou voltar para a casa do meu pai. Lucas 15.18a – A decisão estava tomada, era ir aonde o seu pai pudesse ser encontrado. Não bastava ir à casa do pai, era preciso escolher o que dizer quando estivesse diante do pai.
  • Escolha: Me aceite como um dos seus trabalhadores. Lucas 15.19b – A escolha que ele – ARREPENDEU-SE.

O verso 20-24 mostra que o pai já o aguardava, antes que ele concluísse o que tinha a dizer sobre a escolha para tornar-se um empregado, o pai o interrompe e diz: “Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. Ponham um anel no dedo dele e sandálias nos seus pés. 23 Também tragam e matem o bezerro gordo. Vamos começar a festejar 24 porque este meu filho estava morto e viveu de novo; estava perdido e foi achado.”

Eu vejo nesse texto o pai dizendo para o filho: Meu filho chega de escolhas erradas, o que me importa é a tua decisão de voltar, então deixa eu escolher por você a partir de hoje, vamos comemorar a tua volta…

Quem sabe você tomou uma boa decisão hoje ao vir a casa do pai. Na sua mente você detalhou sobre suas escolhas a partir desse dia, mas o que Deus quer que você saiba é que as suas escolhas podem não ser as melhores, ainda que bem intencionadas. Deus escolheu o melhor para a tua vida. Ele não quer que sejas alguém distante, um empregado apenas, você é filho e deve se assentar à mesa do Senhor e participar da sua herança como o filho arrependido que voltou a sua casa.

Não irei comentar sobre a condição do filho mais velho. O que desejo que saibas é que Deus continua te amando e esperando o dia em que você decidirá pelo retorno à Casa do Pai, nesse dia haverá uma grande festa e o seu direito de filho será restituído. Hoje pode ser esse dia!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s