07 elementos da adoração


Mas virá o tempo, e, de fato, já chegou, em que os verdadeiros adoradores vão adorar o Pai em espírito e em verdade. Pois são esses que o Pai quer que o adorem. João 4.23

Cada vez mais as pessoas buscam nas igrejas experiências profundas que os conduzam à presença de Deus na adoração. Isso ocorre porque muitos cristãos estão cansados das inovações superficiais criadas em substituição a verdadeira adoração à Deus.

Em muitas reuniões cristãs a música emociona, o teatro impacta e outras apresentações levam as pessoas a um êxtase emocional, mas não podem leva-las ao Trono de Deus porque não trazem em si a presença do Espírito de Deus. Muitas reuniões cristãs se tornaram superficiais, como resultado vimos uma geração de crentes que não buscam a santificação e não adoram.

A adoração ocorre quando há uma entrega pessoal ao Espírito Santo que encontra espaço na vida da pessoa para agir. Portanto, somente é possível adorar a Deus quando o conhecemos e aceitamos como Senhor e Salvador pessoal.

João em sua visão apocalíptica pode contemplar o que é a adoração diante de Deus. Ele viu o trono, o que estava assentado no trono e os adoradores diante do trono que adoravam ao Senhor, dizendo: “O Cordeiro que foi morto é digno de receber poder, riqueza, sabedoria e força, honra, glória e louvor. ” (Ap 5.12b).

Vamos falar sobre alguns elementos que compõem a adoração do ponto de vista bíblica e queira Deus que possamos nos orientar pela Sua Palavra a fim de adorarmos ao Senhor em espírito e verdade.

1. A adoração deve estar focada em Deus.

A nossa adoração é ao que se assenta no trono e ao Cordeiro que é Cristo (Ap 4.2). Infelizmente em nossos dias e em muitos templos a adoração está mais centralizada na figura humana do que em Deus.

A adoração é centralizada em Deus quando em nossas reuniões públicas ou particulares o enfoque principal é promover a glória de Deus. Antes de considerar nossas necessidades ou preocupações, o maior desejo é louvar a Deus.

Quando a adoração é verdadeira compreendemos que a função do Espírito Santo é ministrar as nossas necessidades espirituais, antes das emocionais, pessoais, etc.

Adorar a Deus conforme ensina as Escrituras é centralizar em Deus o nosso culto. A sua glória é o nosso objetivo principal. Portanto, a nossa adoração a Deus não envolve o sucesso diante de uma plateia repleta e os aplausos da multidão. Quando Deus não é o centro da adoração na igreja, o final dela será morte e destruição espiritual.

2. A adoração é louvor.

Em várias passagens de Apocalipse vemos os anjos, os santos, os três reinos (céu, terra e mar) louvando a Deus por sua santidade (Ap 4.8,10-11). Quando vamos ao templo para cultuar a Deus, devemos fazê-lo sempre em espírito de louvor (Sl 100.4), pois Deus habita entre os louvores do Seu povo (Sl 22.3).

Louvamos a Deus pelo que Ele é: Santo, Misericordioso, Amor, Justo, Bondoso. O louvor é a essência da verdadeira adoração! Louvamos a Deus pelo que Ele tem feito: a criação, a salvação, provisão.

Deus se importa muito mais com o conteúdo do que com a forma de nosso louvor. Segundo a Bíblia, o louvor envolve três elementos: os atributos de Deus; as obras de Deus; gratidão a Deus.

A igreja que não tem esse espírito de louvor empobrece espiritualmente. O templo pode estar lotado de pessoas para assistir as atrações e programas, mas isso não representa a presença de Deus no meio do povo.

3. A Adoração deve focar a obra de Cristo

A verdadeira adoração deve focar sempre a pessoa de Jesus Cristo e sua obra de redenção. É comum ouvirmos ‘adorações’ nos cultos onde o nome de Jesus sequer é mencionado. Conheci muitas igrejas que cresceram acentuadamente, porém em suas reuniões o foco da adoração não citava o nome de Jesus, mas exaltava o ego humano.

Jesus deve ser adorado porque Ele é o centro da nossa adoração, sem a Sua obra redentora jamais teríamos acesso a Deus, I Tm 2.5, 6a: Pois existe um só Deus e uma só pessoa que une Deus com os seres humanos – o ser humano Cristo Jesus, que deu a sua vida para que todos fiquem livres dos seus pecados.

4. A adoração pode ser através da música

Na visão apocalíptica de João há música no céu, Ap 5.9: Eles cantavam esta nova canção: “Tu és digno de pegar o livro e de quebrar os selos. Pois foste morto na cruz e, por meio da tua morte, compraste para Deus pessoas de todas as tribos, línguas, nações e raças.

Nesta passagem, os santos no céu cantavam a respeito de Cristo, a respeito da redenção mediante o sangue, a respeito dos propósitos soberanos de Deus em atrair para Si mesmo um povo, para que sejam reis e sacerdotes.

A música é uma parte integrante da adoração. Que a mensagem de Cristo, com toda a sua riqueza, viva no coração de vocês! Ensinem e instruam uns aos outros com toda a sabedoria. Cantem salmos, hinos e canções espirituais; louvem a Deus, com gratidão no coração. Colossenses 3.16.

O próprio Jesus em seu ministério terreno, quando estava reunido com os discípulos cantaram canções de louvor a Deus (Mc 14.26) – Então eles cantaram canções de louvor e foram para o monte das Oliveiras.

A música pode ser usada para estimular nossas emoções de modo correto ou incorreto. Algumas pessoas, durante o culto desejam ser conduzidos a um estado emocional através da música, mas o verdadeiro papel da música na igreja é auxiliar no ensino da Palavra de Deus através da adoração.

5. A adoração envolve toda a liturgia de culto

O sentido da liturgia é promover a adoração de modo ordeiro, belo e bem planejado. A liturgia na visão de João é vista em Apocalipse 4.8, 10. Os seres viventes cantavam ‘Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o todo poderoso’, no verso 10 os vinte e quatro anciãos quando ouviram o cântico dos anjos se prostraram diante do trono.

Não temos muitas referências sobre a liturgia nas reuniões da igreja primitiva, mas podemos observar que nas reuniões eles liam as Escrituras, pregavam, testemunhavam, recolhiam ofertas, oravam e cantavam. Paulo escreveu a igreja de Corinto ensinando-lhes a serem moderados no uso dos dons espirituais e esperar para que cada um falasse por vez, o que indica que a liturgia traz ordem e decência nas reuniões.

6. A adoração envolve a reverência

Em Apocalipse 5.14 lemos: Os quatro seres respondiam: “Amém!” E os líderes caíram de joelhos e o adoraram.

A adoração autêntica leva o adorar a comoção, temor, reverência e elevação espiritual. Tudo que o adorador mais deseja durante o culto é exaltar a glória de Deus, desse modo ele sente e contempla a glória do Senhor descendo sobre si.

Infelizmente, em muitos lugares não há mais reverência nos cultos. As pessoas agem nas reuniões como se estivessem num centro de compras, em um passeio ao shopping, etc. Não há reverência e sem ela não podemos ver ou sentir a glória de Deus. Não deixe sua adoração descer ao nível do mero cumprimento do dever. Piter.

7. A adoração inclui a pregação

Em último lugar a adoração é pregação, não no modo como praticamos na terra. O propósito da pregação é revelar o caráter de Cristo, a Sua obra e glória. Quando anunciamos o Evangelho buscando revelar Cristo, estamos adorando a Deus.

  • Não existe melhor maneira de adorar a Deus do que ouvir um sermão. H. Spurgeon

Algumas pessoas pensam na adoração como uma produção musical ou dramatúrgica e a pregação como algo enfadonho sem propósito, quando isso ocorre a adoração se torna uma experiência mística que pode ser facilmente manipulada pela música e emoções, pelo entretenimento ou outros tipos de inovações gospel.

O drama, a pantomima, os fantoches, o ilusionismo, os shows de rap, os concertos de rock, as apresentações de filmes e os testemunhos pessoais estão substituindo a pregação expositiva. Uma geração inteira de ministros, moldados em um novo estilo, esqueceu-se ou rejeitou propositalmente a exortação apostólica: pregue a mensagem e insista em anunciá-la, seja no tempo certo ou não. Procure convencer, repreenda, anime e ensine com toda a paciência. (II Tm 4.2).

Não devemos nos esquecer o que Paulo ensinou em Romanos 10.17: Portanto, a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem vem por meio da pregação a respeito de Cristo.

Não devemos subestimar o poder, o propósito ou a posição que a pregação centralizada em Cristo não é somente parte integrante da adoração, ela também produz mais adoração.

Eu os convido para adorar a Deus nesse dia. Com base no texto sagrado de Apocalipse 4 e 5 vimos que a adoração envolve sete elementos diferentes no culto, que são:

Foco em Deus; Louvor; Lembrança da obra de Cristo; Música; Liturgia; Reverência; Pregação.

Deus vos abençoe.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s