Vivendo em Harmonia por Jesus


Filipenses 2.1,2: Por estarem unidos com Cristo, vocês são fortes, o amor dele os anima, e vocês participam do Espírito de Deus. E também são bondosos e misericordiosos uns com os outros. 2 Então peço que me dêem a grande satisfação de viverem em harmonia, tendo um mesmo amor e sendo unidos de alma e mente.

Certo escritor fez a seguinte ilustração: ao contemplar o meu irmão com o microscópio da crítica percebi o quão grosseiro é o meu irmão; ao observá-lo com o telescópio do escárnio vi o quão pequeno, avarento e insignificante é o meu irmão; mas ao vê-lo através do espelho do amor concluí que o meu irmão é semelhante em tudo comigo.

A desarmonia não pode ser ignorada dentro da igreja. Ela existe por causa do nosso espírito crítico, o problema é que quando crítico o meu irmão, eu estou criticando alguém semelhante a mim com os mesmos defeitos e falhas. Em Filipenses (4.2) havia duas irmãs que viviam em constante desarmonia e Paulo roga a essas irmãs para que deixem de lado suas desavenças e vivam unidas em Cristo – Evódia e Síntique, peço, por favor, que procurem viver bem uma com a outra, como irmãs na fé.

A desarmonia era problema comum em outras igrejas, como vemos em Corintos (1.10) o apostolo Paulo apela aos irmãos em nome de Jesus pela unidade – Irmãos, peço, pela autoridade do nosso Senhor Jesus Cristo, que vocês estejam de acordo no que dizem e que não haja divisões entre vocês. Sejam completamente unidos num só pensamento e numa só intenção.

Quando não há harmonia na Igreja somos destruídos um a um pelo adversário. Como um leão à espreita observando a sua presa e esperando o momento em que uma delas se afasta do rebanho para atacá-la, assim acontece na igreja: em harmonia vencemos o inimigo, separados somos presas fáceis de serem devoradas.

A desarmonia acontece em qualquer igreja porque:

  • No mundo estamos sujeitos a nossa natureza humana pecaminosa;
  • Onde há pessoas reunidas existem problemas, não adianta procurar por uma igreja sem desavenças pois ela não existe aqui na terra.

A igreja de Filipos era uma igreja maravilhosa que sustentava missionários e cumpria bem a sua missão. Mas, em meio a suas maravilhas haviam duas mulheres que estavam se estranhando e causando problemas a toda comunidade. Em sua carta Paulo fala elogia as virtudes dessa igreja, mas lembra-lhes que estavam com um problema que precisava ser resolvido (4.2)

  • O problema não era falta de dinheiro. Embora não fosse uma igreja rica, os seus membros contribuíam prazerosamente em favor dos missionários;
  • O problema não era falta de pessoas nos cultos de oração, eles costumavam se reunir para orar pelos apóstolos (1.19);
  • O problema não era falta de liderança, o apóstolo Paulo cita vários nomes de cooperadores dentro daquela igreja;
  • O problema não era com o pecado da imoralidade, essa igreja aparenta santidade e pureza;
  • O problema não era com a liderança da igreja ou com os novos membros.

O problema dessa igreja se resume a duas pessoas que eram ativas na igreja, que ajudaram o apóstolo Paulo em seu ministério, eram bons contribuintes, amavam a igreja, mas viviam em discórdia entre si. O pedido de Paulo era para que elas acertassem as suas diferenças pelo bem da igreja.

 

A desarmonia era o grande problema da igreja em Filipos. O que causou este problema?

A causa da desarmonia começa na atitude mental de cada cristão, Paulo tinha consciência das suas limitações e que não era um cristão perfeito, esse reconhecimento das limitações ele chama de maturidade (3.15) – Todos nós que somos espiritualmente maduros devemos ter essa maneira de pensar. Porém, se alguns de vocês pensam de maneira diferente, Deus vai tornar as coisas claras para vocês.

Para alguns a sua opinião tem que sempre prevalecer, nunca reconhece as suas falhas e sempre se coloca em uma posição de santidade superior aos demais irmãos. A desarmonia é fruto de três tipos de pecados comuns a natureza humana:

  • Orgulho – quando pensamos além e acima do que devemos sobre nós mesmos. A Bíblia ensina o contrário em Rm 12.3b: Pelo contrário, pensem com humildade a respeito de vocês mesmos, e cada um julgue a si mesmo conforme a fé que Deus lhe deu.
  • Egoísmo – quando só pensamos em nós e não pensamos nos outros. A Bíblia ensina o contrário em Fp 2.4: Que ninguém procure somente os seus próprios interesses, mas também os dos outros.
  • Autocomiseração – quando sentimos dó de nós mesmos. A famosa frase: Por que só acontece comigo?

 

Quando falta harmonia na igreja os desastres se tornam comuns. Vejamos:

  • Os problemas entre os membros irão se agravar. Cada uma das partes procura por outras pessoas tentando justificar as suas ações, causando uma ruptura na comunhão da igreja;
  • O testemunho da igreja é danificado. Geralmente, assuntos envolvendo pessoas dentro da igreja tendem a se espalhar rapidamente para fora da igreja provocando escândalos e afastando novas pessoas de se aproximarem da igreja;
  • O diabo é o vitorioso quando há discórdia, ele usa a desarmonia como ferramenta para desestimular a igreja;
  • O Espírito Santo se entristece e com o tempo ele se apaga no coração da igreja. Uma igreja sem a presença do Espirito Santo tornar-se-á morta espiritualmente.

Eu penso que quando a Bíblia ensina que devemos amar aos nossos irmãos e aos nossos inimigos é porque, às vezes, eles são as mesmas pessoas.

Jesus não pode abençoar o coração de um crente amargurado, Mateus 6.14,15: – Porque, se vocês perdoarem as pessoas que ofenderem vocês, o Pai de vocês, que está no céu, também perdoará vocês. 15 Mas, se não perdoarem essas pessoas, o Pai de vocês também não perdoará as ofensas de vocês.

O que fazer quando enfrentamos o problema da desarmonia na igreja?

O caminho para a restauração da harmonia foi ensinado por Jesus em Mateus 18.15-17: – Se o seu irmão pecar contra você, vá e mostre-lhe o seu erro. Mas faça isso em particular, só entre vocês dois. Se essa pessoa ouvir o seu conselho, então você ganhou de volta o seu irmão. 16 Mas, se não ouvir, leve com você uma ou duas pessoas, para fazer o que mandam as Escrituras Sagradas. Elas dizem: “Qualquer acusação precisa ser confirmada pela palavra de pelo menos duas testemunhas.” 17 Mas, se a pessoa que pecou não ouvir essas pessoas, então conte tudo à igreja. E, se ela não ouvir a igreja, trate-a como um pagão ou como um cobrador de impostos.

A pessoa ofendida precisa desenvolver uma atitude espiritual e não vingativa, de tomar a iniciativa de ir ao seu irmão e procurar ganhá-lo. Quatro passos são ensinados nesse tipo de situação:

  • Fale a sós com a pessoa que lhe ofendeu (15) – faça isso em particular, só entre vocês dois. Quando a particularidade do outro é respeitada, muitas situações conflituosas na igreja são resolvidas sem que outros tomem conhecimento.
  • Quando o assunto não é resolvido, se necessário, leve uma testemunha (16) – leve com você uma ou duas pessoas, para fazer o que mandam as Escrituras Sagradas. A testemunha deve ser neutra e de confiança, o seu papel é apenas ouvir o que será dito.
  • Se não houver reconciliação então comunique a igreja (17) – se a pessoa que pecou não ouvir essas pessoas, então conte tudo à igreja. O ato de comunicar à igreja significa falar a pessoa certa e não espalhar falatórios a toda congregação, pois nesse caso isso seria fofoca.
  • Se mesmo comunicando a igreja e buscando a conciliação não houver acordo, então considere tal irmão como um estranho (17) – se ela não ouvir a igreja, trate-a como um pagão ou como um cobrador de impostos. Não quer dizer que você não perdoou o seu irmão, mas que irá deixa-lo em paz e se afastar dele visto que ele não quer a sua comunhão.

 O grande problema que tem causado desarmonia na igreja é que alguns irmãos passam a ignorar o outro sem nunca buscar uma reconciliação, quando isso ocorre deixamos de exercer o amor cristão.

Com base no texto sagrado vimos que a reconciliação e prevenção podem evitar a desarmonia na igreja. Para que isso ocorra precisamos compreender que:

  • Somos seres humanos, diferentes uns dos outros, as pessoas reagem de modo diferente diante de determinadas situações e ser cristão é procurar compreender o outro do mesmo que Cristo compreende as nossas fraquezas e nos perdoa.
  • Não devemos nos esconder sob a roupagem da nossa justiça, achando que somos melhores ou mais santos do que os outros. Algumas pessoas se julgam acima dos outros e esquecem que o amor de Deus alcança qualquer pessoa que se arrepender e vier a Ele de coração.
  • Ser cristão é crescer espiritualmente todos os dias até a estatura perfeita diante de Deus.
  • Quando nos tornamos adultos espirituais aprendemos que certas dificuldades podem e devem ser ignoradas a fim de alcançarmos a nossa salvação.
  • Quando somos adultos na fé vencemos o orgulho, a inveja, a autocomiseração e o egoísmo. João 13.34: Eu lhes dou este novo mandamento: amem uns aos outros. Assim como eu os amei, amem também uns aos outros. 35 Se tiverem amor uns pelos outros, todos saberão que vocês são meus discípulos.

Sermão adaptado

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s