Qual a tua filosofia de vida cristã?


Paulo em sua carta aos Filipenses 1.19-26 fala sobre o amor e comunhão que tinha com aqueles irmãos, em  defesa do seu ministério apostólico ele apresenta três temas importantes que refletem a sua filosofia de vida cristã.

I – A BASE DA SUA ESPERANÇA

Versos 18b-20: Por isso estou alegre e vou continuar assim. 19 Pois eu sei que, por meio das orações de vocês e com a ajuda do Espírito de Jesus Cristo, eu serei posto em liberdade. 20 O meu grande desejo e a minha esperança são de nunca falhar no meu dever, para que, sempre e agora ainda mais, eu tenha muita coragem. E assim, em tudo o que eu disser e fizer, tanto na vida como na morte, eu poderei levar outros a reconhecerem a grandeza de Cristo. 

Paulo é uma pessoa que não vivia de incertezas, a sua esperança era real e para ele estava claro qual era a sua missão e o seu dever – O meu grande desejo e a minha esperança são de nunca falhar no meu dever (V. 20ª). Ele explica que a fonte de sua esperança se baseia em três fatores:

1º – AS ORAÇÕES DOS IRMÃOS FILIPENSES

Eles eram parceiros, colaboradores e intercessores do ministério de Paulo, desde que o conheceu – por causa da maneira como vocês me ajudaram no trabalho de anunciar o evangelho, desde o primeiro dia até hoje (1.5).

Em meio ao sofrimento por causa do evangelho de Cristo, Paulo se sente confortado e seguro com as orações da igreja – Pois eu sei que, por meio das orações de vocês (v.19a).

2º – O PODER DO ESPÍRITO SANTO

Além das orações, Paulo conta com a uma ajuda sobrenatural em seu ministério, o Espírito Santo é a sua fonte de inspiração, poder e esperança – e com a ajuda do Espírito de Jesus Cristo, eu serei posto em liberdade (v.19b).

Quando Paulo fala sobre o Espírito de Jesus, ele fala com propriedade, pois conhece o poder e direção do Espírito, a sua vida foi marcada por experiências sobrenaturais com Deus, vejamos:

  • Em sua conversão na estrada de Damasco (At 9.3-19) – Então Ananias foi, entrou na casa de Judas, pôs as mãos sobre Saulo e disse: – Saulo, meu irmão, o Senhor que me mandou aqui é o mesmo Jesus que você viu na estrada de Damasco. Ele me mandou para que você veja de novo e fique cheio do Espírito Santo (v.17).
  • Quando Ele e Barnabé foram chamados para servir como missionários – Certa vez, quando eles estavam adorando o Senhor e jejuando, o Espírito Santo disse: – Separem para mim Barnabé e Saulo a fim de fazerem o trabalho para o qual eu os tenho chamado (Atos 13.2)
  • Quando Elimas tentou impedir Paulo de anunciar o evangelho ao governador, Atos 13.9,10 – Então Saulo, também conhecido como Paulo, cheio do Espírito Santo, olhou firmemente para Elimas. 10 e disse: – Filho do Diabo! Inimigo de tudo o que é bom! Homem mau e mentiroso! Por que é que você não pára de torcer o verdadeiro ensinamento do Senhor?
  • A ida de Paulo para Filipos foi dirigida pelo Espírito Santo, Atos 13.6-12 – Como o Espírito Santo não deixou que anunciassem a palavra na província da Ásia, eles atravessaram a região da Frígia-Galácia. 9 Naquela noite Paulo teve uma visão. Ele viu um homem da província da Macedônia, que estava de pé e lhe pedia: “Venha para a Macedônia e nos ajude!” 12 Dali fomos a Filipos, que é uma cidade do primeiro distrito da província da Macedônia e também colônia romana, onde ficamos vários dias.
  • Paulo foi alertado pelo profeta Ágabo sobre as perseguições e cadeia que iria enfrentar. Atos 21.10,11 – Alguns dias depois da nossa chegada, um profeta chamado Ágabo veio da região da Judéia. 11 Ele chegou perto de nós, pegou o cinto de Paulo, amarrou os próprios pés e as próprias mãos e disse: – O Espírito Santo diz isto: em Jerusalém o dono deste cinto será amarrado assim pelos judeus e será entregue nas mãos dos não-judeus.
  • Paulo está fundamentado na promessa que Jesus fez aos discípulos quando eles fossem levados diante das autoridades por causa do evangelho, Marcos 13.11 – Quando prenderem e entregarem vocês às autoridades, não fiquem preocupados, antes da hora, com o que irão dizer. Quando chegar o momento, digam o que Deus lhes der para dizer. Porque as palavras que disserem não serão de vocês mesmos, mas virão do Espírito Santo.

3º – EXPERIÊNCIAS ANTERIORES COM JESUS

O meu grande desejo e a minha esperança são de nunca falhar no meu dever, para que, sempre e agora ainda mais, eu tenha muita coragem. E assim, em tudo o que eu disser e fizer, tanto na vida como na morte, eu poderei levar outros a reconhecerem a grandeza de Cristo.

A esperança de Paulo era baseada em experiências anteriores que tivera com Deus. Em várias ocasiões ele escapou da morte por milagre de Deus. II Coríntios 11.23b-28 – Pois eu tenho trabalhado mais do que eles e tenho estado mais vezes na cadeia. Tenho sido chicoteado muito mais do que eles e muitas vezes estive em perigo de morte. 24 Em cinco ocasiões os judeus me deram trinta e nove chicotadas. 25 Três vezes os romanos me bateram com porretes, e uma vez fui apedrejado. Três vezes o navio em que eu estava viajando afundou, e numa dessas vezes passei vinte e quatro horas boiando no mar. 26 Nas muitas viagens que fiz, tenho estado em perigos de inundações e de ladrões; em perigos causados pelos meus patrícios, os judeus, e também pelos não-judeus. Tenho estado no meio de perigos nas cidades, nos desertos e em alto mar; e também em perigos causados por falsos irmãos. 27 Tenho tido trabalhos e canseiras. Muitas vezes tenho ficado sem dormir. Tenho passado fome e sede; têm me faltado casa, comida e roupas. 28 Além dessas e de outras coisas, ainda pesa diariamente sobre mim a preocupação que tenho por todas as igrejas.

Deus nunca abandonou Paulo, o Espírito Santo lhe concedeu forças, poder, paciência e liberdade para pregar o Evangelho, a esperança de Paulo é que nenhuma prisão irá impedi-lo de cumprir o seu ministério.

A liberdade que Paulo almeja não era o romper das cadeias para viver uma boa velhice numa casa de praia ou em um palácio sendo bajulado por pessoas. Não! A liberdade que Paulo almeja é poder expressar com habilidade acerca da sua fé em Cristo. Efésios 6.19,20 – E orem também por mim, a fim de que Deus me dê a mensagem certa para que, quando eu falar, fale com coragem e torne conhecido o segredo do evangelho. 20 Eu sou embaixador a serviço desse evangelho, embora esteja agora na cadeia. Portanto, orem para que eu seja corajoso e anuncie o evangelho como devo anunciar.

Paulo não queria envergonhar o evangelho. Ele está disposto a encarar seu julgamento e ser morto e aproveitar seus últimos momentos anunciando a liberdade em Cristo. O seu grande desejo é não falhar e com coragem engrandecer a Cristo através do seu corpo, vivo ou morto.

 

II – O GRANDE DILEMA DA SUA VIDA

Versos 21-23 – Pois para mim viver é Cristo, e morrer é lucro. 22 Mas, se eu continuar vivendo, poderei ainda fazer algum trabalho útil. Então não sei o que devo escolher. 23 Estou cercado pelos dois lados, pois quero muito deixar esta vida e estar com Cristo, o que é bem melhor. 

Olhando para a ousadia, desejo e esperança como Paulo descreve o momento que está passando, temos a impressão que ele estava despreocupado com os acontecimentos que envolviam o seu julgamento. Isso não é verdade, em seu interior ele travava uma batalha intensa a ponto de dizer (21) – Pois para mim viver é Cristo, e morrer é lucro. 

  • Para mim viver é Cristo. Ele é o centro da sua vida desde a sua conversão. Paulo abriu mão de tudo para viver uma vida totalmente dedicada a Cristo. Ele enxerga o viver como uma oportunidade única para continuar anunciando o evangelho e salvando vidas da condenação eterna. Os irmãos filipenses estavam em sua lista de prioridades, ele gostaria de viver mais um tempo para ser útil ao evangelho.
  • O morrer é lucro. Esse é grande dilema na vida de Paulo: viver ou morrer? Ele não sabe o que escolher. Ao mesmo tempo em que deseja estar com os irmãos e ajudá-los na fé, ele quer ser liberto do seu corpo físico e estar com Cristo no céu desfrutando da glória eterna.

III – A GRANDE DECISÃO DA SUA VIDA

Versos 1.24-26 – Porém, por causa de vocês, é muito mais necessário que eu continue a viver. 25 E, como estou certo disso, sei que continuarei vivendo e ficarei com todos vocês para ajudá-los a progredirem e a terem a alegria que vem da fé. 26 Assim, quando eu for visitar vocês outra vez, vocês terão muito mais razão ainda para ficarem orgulhosos de mim, na vida que vocês têm em união com Cristo Jesus.

Paulo decide colocar um fim a sua luta e toma uma decisão. O seu desejo interior foi continuar vivendo no corpo físico para servir por mais tempo a igreja de Deus. Paulo não morreu dessa vez, ele foi libertado da prisão e possivelmente voltou para Filipos (I Tm 1.3).

O ponto principal dessa palavra é filosofia de vida de Paulo, ele era uma pessoa altruísta e cristocêntrica. Ele desejou permanecer em seu corpo físico por mais tempo, mesmo diante de tantos sofrimentos e perseguições, por causa das necessidades daqueles irmãos na fé. A sua esperança era ajuda-los a progredir e serem alegres pela fé em Cristo.

Cristo sempre ocupou o primeiro lugar na vida de Paulo, assim como Cristo deu a sua vida por nós, Paulo desejava dar o tempo que lhe restava em vida em favor de outras pessoas.

 

IV – QUAL É A SUA FILOSOFIA DE VIDA?

O que é viver para você? Para muitos viver é ter dinheiro, diversão, amigos, escola, lar, família, satisfação pessoal, entretenimento, sexo, trabalho, esportes, etc. Algumas dessas razões são boas e realmente valem a pena, porém outras podem te levar ao caminho da destruição e ao inferno. Paulo foi categórico, ele não dá margem a especulação ou dúvidas: para mim viver é Cristo (21). E, para você…?

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s