Deus não abre mão de você!


O amor que Deus tem por nós é eterno, independente de quem somos ou fazemos Deus nos ama. Jacó teve a sua vida marcada por mentiras, golpes e enganos, mesmo assim Deus o amou, Gênesis 32.22-32; Oséias 12.3,4.

O amor que Deus tem por você não depende de fatores externos. Jacó não foi escolhido pelas suas obras, mas para as boas obras; não porque ele era obediente e correto, mas para que fosse obediente e honesto. Deus amou Jacó quando ele ainda estava no ventre da sua mãe (Gn 25.23, 32; Ml 1.2).

Deus amou Jacó mesmo ele não merecendo. Quando Jacó nasceu ele estava agarrado no calcanhar do seu irmão, dando a impressão que queria arrastá-lo de volta para o ventre para ser o primeiro; quando o seu irmão se mostrou fragilizado ele aproveitou a oportunidade para barganhar o direito à primogenitura; ele aproveitou-se da cegueira do seu pai para mentir e se passar por Esaú; em sua mentira ele alcançou a benção que era destinada a seu irmão. As atitudes de Jacó foram totalmente reprováveis, o seu nome era o reflexo da sua personalidade e mesmo assim Deus o amou.

Deus amou Jacó quando ele estava em crise por causa de suas constantes falhas (Gn 28.10-17). Em sua fuga, sozinho e em crise, ele pode refletir sobre sua trajetória e tudo de ruim que praticou, sobre as decisões erradas que o afastou da família. Quando estava em crise Deus se revelou a ele como o Deus de Abraão e de Isaque, até aquele momento Deus não era o Deus de Jacó, mas lhe fez promessas e prometeu estar com ele e protegê-lo em sua jornada. Até aquele momento Jacó fez tudo sozinho, mas agora ele estava face a face com Deus e nesse encontro ele dá o primeiro passo para a transformação e faz uma aliança com Deus (Gn 28.20-22).

Deus abençoou Jacó antes de ele firmar uma aliança com Deus. O Senhor primeiro lhe fez promessas, garantiu que estaria com ele, o protegeu em toda a sua jornada e lhe assegurou bens e família. O mesmo ocorreu conosco, antes de sermos salvos Deus enviou seu filho ao mundo para garantir o nosso direito a vida eterna. Primeiro Deus se revela esperando que o reconheçamos como o Nosso Deus e Senhor, outro detalhe é que as bênçãos de Deus podem vir sobre um não salvo, porém o maior prêmio não são bens terrenos e sim a vida eterna e essa depende da nossa aceitação e entrega a Deus (At 14.17).

 

DEUS CONFRONTOU JACÓ NA HORA DE SUA MAIOR ANGÚSTIA.

Jacó sabia o quanto tinha errado com o seu pai e seu irmão, o tempo não apagou as lembranças de sua consciência, por muitos anos ele sofreu calado a culpa dos seus erros. Quando ele decide voltar para sua terra ele sabia que iria encarar o passado, não tinha como fugir de si mesmo, em seu coração ele sabia que era um enganador (Gn 32.9-11).

Deus tomou a iniciativa no combate com Jacó quando ele estava só no rio Jaboque, agora não tinha como Jacó fugir e escapar do confronto. Deus se revelou a Jacó antes da sua mais importante decisão pessoal que era reencontrar a sua família. Jacó tinha sido abençoado, mas precisava desse encontro pessoal com Deus, o rio Jaboque representa o momento em que o homem se encontra com Deus e reconhece ser ele a fonte de todas as bênçãos em sua vida (Gn 32.24).

Jacó não queria ceder na luta com Deus. Jacó lutou a noite inteira, estava cansado e não queria ceder. Ele era um homem duro, cheio de convicções pessoais e que deseja medir forças com Deus, ele representa o homem que não quer se converter. Embora ele tenha reconhecido seu erro e que suas bênçãos vinham de Deus, ele não quer se render a Deus. Do mesmo modo, há pessoas que são confrontadas frequentemente por Deus, eles ouvem as pregações e profecias, até pessoas estranhas dizem que devem se converter e mesmo assim o coração continua duro e não cedem.

Deus quebra a arrogância e orgulho de Jacó para preservá-lo. A ferida foi uma marca que Jacó levou por toda a vida e impediu que ele fosse condenado pela eternidade, o método de Deus foi radical porque o amava. Às vezes Deus fere o nosso corpo e bens com o propósito de nos levar ao quebrantamento para sermos abençoados. Pode soar estranho o método divino, mas funciona (Gn 32.25).

A HUMILHAÇÃO DE JACÓ RESULTOU EM BENÇÃOS

Jacó estava ferido e cansado depois de passar uma noite inteira em batalha. Jacó tinha riquezas, família e o direito de primogenitura assegurado, mas enfim, aleluia, ele reconhece que precisa de Deus, que o seu maior tesouro é Deus, ele deseja a benção de Deus e sabe que sem Deus a sua vida seria vazia (Gn 32.26).

Quando o homem diz a Jacó que o dia estava amanhecendo e precisa ir embora, Jacó desejou resolver a questão, ele não quer esperar mais e pede para ser abençoado. Ele tem urgência e não quer perder a oportunidade. Ele está ferido, cansado, mas não desiste de ser abençoado. Quatro fatos importantes nesse episódio:

  • Jacó quis ser transformado. Ele estava cansado de ser chamado de enganador, o maior problema de Jacó era o seu passado marcado por mentiras, ele se quebranta diante de Deus e pede uma benção. Oséias 12.4 – ele lutou com um anjo e venceu. Então chorou e pediu que o anjo o abençoasse. Deus o encontrou em Betel e ali falou com ele.
  • Jacó admitiu seu pecado e revelou seu principal problema. Quando o homem perguntou seu nome, ele poderia dizer qualquer outro nome e continuar na mentira e engano, mas dessa vez ele enxerga uma grande oportunidade para mudar a sua vida. Ele não escondeu que ele era e revelou seu nome, Gênesis 32.27 – Aí o homem perguntou: – Como você se chama? – Jacó – respondeu ele.
  • A perseverança de Jacó resultou na maior benção da sua vida, ele viu Deus face a face. Foi um encontro extraordinário. Deus mudou o seu nome, o abençoou e lhe manteve vivo, Gênesis 32.28-30 – Então o homem disse: – O seu nome não será mais Jacó. Você lutou com Deus e com os homens e venceu; por isso o seu nome será Israel. 29 – Agora diga-me o seu nome – pediu Jacó. O homem respondeu: – Por que você quer saber o meu nome? E ali ele abençoou Jacó. 30 Então Jacó disse: – Eu vi Deus face a face, mas ainda estou vivo. Por isso ele pôs naquele lugar o nome de Peniel.
  • Depois do encontro com Deus Jacó se reconciliou com seu irmão. A jornada de Jacó se findou, um dia ele saiu fugido de casa e agora ele voltou sendo abraçado por seu irmão. É um novo tempo em sua vida, uma nova mentalidade. Jacó ficou manco, mas estava salvo. Gênesis 33.4 – Porém Esaú saiu correndo ao encontro de Jacó e o abraçou; ele pôs os braços em volta do seu pescoço e o beijou. E os dois choraram.

O encontro de Jacó com Deus marcou a sua vida para sempre, qualquer pessoa que lhe perguntasse por que ele manquejava, ele certamente responderia – “eu tive um encontro com Deus… Deus quebrou o meu orgulho”. Em todas as suas batalhas Jacó lutou e prevaleceu contra pessoas mentindo e enganando, mas no rio de Jaboque o seu orgulho foi ferido e embora tenha sido abençoado, a marca em sua coxa era um lembrete de Deus para que não cometesse mais erros, (Gn 32.31,32) – O sol nasceu quando Jacó estava saindo de Peniel, e ele ia mancando por causa do golpe que havia levado na coxa. 32 Até hoje os descendentes de Israel não comem o músculo que fica na junta da coxa, pois foi nessa parte do corpo que ele recebeu o golpe.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s