Edificando os alicerces do discipulado


Mateus 28.19 NTLH – Portanto, vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores, batizando esses seguidores em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Jesus comissionou quatro coisas que estão relacionadas entre si para a igreja: Pregar o evangelho; batizar; ensinar; fazer discípulos. Todas são importantes:

  • Pregar o evangelho é o primeiro passo para alguém conhecer a Cristo. Todo cristão deve cumprir essa ordem e falar das boas novas ao maior número possível de pessoas;
  • Batizar é o próximo passo que alguém dá quando aceita a Cristo. Ele se declara publicamente através do rito batismal que a sua vida agora pertence a Cristo;
  • Ensinar é como dar alimento a alguém para que cresça e se desenvolva, com o passar do tempo o novo crente se tornará adulto e atingirá o nível de maturidade cristã desejável;
  • Discipular é uma tarefa contínua, nunca cessa. A exemplo de um bebê recém-nascido, o discipulado começa no início da fé cristã e segue por toda a vida. O método aplicado é o ensino através do conhecimento e da prática.

Discipular é transmitir a vida de Jesus. É reproduzir essa vida em outras pessoas, ensinando-as a guardar tudo que ele ordenou. Nessa jornada constituímos mestres que nos auxiliam no desenvolvimento da fé cristã e assim prosseguimos até o dia em que o Senhor nos chamar para o seu Reino eternal. Paralelamente, com a maturidade adquirida nos tornamos mestres na vida de outras pessoas que serão discipuladas.

O discípulo é um seguidor, aquele que age literalmente como seu mestre. Os discípulos de Jesus não sabiam exatamente qual o caminho por onde Jesus os levaria (João 14.8), mas compreendiam o significado de ser discípulo de alguém.

O tempo torna o discípulo semelhante ao seu mestre e mesmo na obscuridade não há como esconder sua semelhança com seu mestre (Mc 14.66-72):

  • Lucas 6.40 – Nenhum aluno é mais importante do que o seu professor. Porém, quando tiver terminado os estudos, o aluno ficará igual ao seu professor.

Infelizmente há pessoas que dizem ser seguidoras de Jesus, mas não são discípulos – são apenas simpatizantes, por isso não se parecem com o mestre por excelência – Jesus Cristo. Esse comportamento é inaceitável do ponto de vista bíblico.

  • É como se as pessoas dissessem o seguinte “Jesus eu estou com você. Eu vou falar bem de você, da sua igreja, darei minha contribuição a sua causa. Eu vou seguir-te do meu jeito e no meu modelo. ”
  • Em resposta Jesus dissesse a tais pessoas beleza, estamos juntos, valeu.

Não é o que Jesus pensa ou diz sobre aqueles que querem ser simpatizantes, mas não querem ser discípulos:

  • Lucas 13.23-26: Alguém perguntou: – Senhor, são poucos os que vão ser salvos? Jesus respondeu: 24 – Façam tudo para entrar pela porta estreita. Pois eu afirmo a vocês que muitos vão querer entrar, mas não poderão. 25 – O dono da casa vai se levantar e fechar a porta. Então vocês ficarão do lado de fora, batendo na porta e dizendo: “Senhor, nos deixe entrar!” E ele responderá: “Não sei de onde são vocês.” 26 Aí vocês dirão: “Nós comemos e bebemos com o senhor. O senhor ensinou na nossa cidade.” 27 Mas ele responderá: “Não sei de onde são vocês. Afastem-se de mim, vocês que só fazem o mal.”
  • Mateus 7.22,23: Quando aquele dia chegar, muitas pessoas vão me dizer: “Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres!” 23 Então eu direi claramente a essas pessoas: “Eu nunca conheci vocês! Afastem-se de mim, vocês que só fazem o mal!”
  • Mateus 25.32: Todos os povos da terra se reunirão diante dele, e ele separará as pessoas umas das outras, assim como o pastor separa as ovelhas das cabras.

Quando falamos sobre discipulado é importante compreender que o modelo de discípulo que devemos formar é o de Cristo. Para que isso aconteça o discipulador deve ter uma vida pautada nas escrituras, bom testemunho cristão, vida de oração e comunhão e outras características bíblicas fundamentais que todo seguidor de Jesus possui. Lembre-se: com o tempo o discípulo se tornará semelhante ao seu mestre.

I – EDIFICANDO OS ALICERCES DO DISCIPULADO

Significado: construir e aperfeiçoar as bases (fundamentos) na arte de seguir e ser como Jesus. O melhor manual que temos para nos orientar sobre como promover e edificar um discipulado eficaz é a Bíblia Sagrada.

  • Colossenses 1.28 – Assim nós anunciamos Cristo a todas as pessoas. Com toda a sabedoria possível, aconselhamos e ensinamos cada pessoa, a fim de levar todos à presença de Deus como pessoas espiritualmente adultas e unidas com Cristo.
  • II Timóteo 3.16 – Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver.

O discipulado consolida, fortalece e solidifica a igreja. Sem discípulos a comunidade cristã enfraquece e com o passar dos tempos tende a desaparecer como visto em muitos lugares do mundo. As sementes lançadas na beira do caminho, em areias pedregosas com pouca terra ou em meio aos espinhos não resistem por muito tempo (Mateus 13.1-9). As sementes que crescem e dão frutos são aquelas que caem em bom solo, Mateus 13.23 – E as sementes que foram semeadas em terra boa são aquelas pessoas que ouvem, e entendem a mensagem, e produzem uma grande colheita: umas, cem; outras, sessenta; e ainda outras, trinta vezes mais do que foi semeado.

Quando evangelizamos alguém não sabemos que tipo de solo (coração) estamos lançando a semente (palavra de Deus), observem que a maioria das sementes não produziram. Do mesmo modo, devemos estar preparados para decepções e perdas quando evangelizamos alguém. Poucas pessoas tornar-se-ão discípulos. A boa notícia é que essas pessoas irão se reproduzir dezenas e centenas de vezes, glória a Deus!

Jesus evangelizou milhares e treinou doze pessoas. Um deles, Pedro, através da sua pregação alcançou milhares de pessoas. Os onze juntos consolidaram as bases da igreja que segue até os dias atuais. Entre os novos crentes estava o jovem Saulo de Tarso que se tornou Paulo, o apóstolo dos gentios.

  • Quando você evangeliza e discipula alguém poderá estar diante de uma pessoa que será extraordinariamente usada por Deus para promover o evangelho como nunca imaginou.

II – COMO JESUS DISCIPULAVA?

Sem preconceito, com amor e dizendo a verdade independentemente da situação, João 8.10-12: Então Jesus endireitou o corpo e disse: – Mulher, onde estão eles? Não ficou ninguém para condenar você? 11 – Ninguém, senhor! – respondeu ela. Jesus disse: – Pois eu também não condeno você. Vá e não peque mais!] 12 De novo Jesus começou a falar com eles e disse: – Eu sou a luz do mundo; quem me segue nunca andará na escuridão, mas terá a luz da vida.

  • Jesus teve a mesma oportunidade que os acusadores para atirar a pedra naquela mulher, mas não o fez. Ele preferiu trata-la com humanidade e respeito;
  • Quando estava a sós com a mulher ele poderia ainda acusá-la do seu pecado, mas preferiu absolve-la do seu erro;
  • Embora não a tenha discriminado ou condenado, Jesus disse a verdade que ela precisava ouvir – ‘não peques mais’.

Devemos ter o cuidado ao discipular alguém para não agirmos como os acusadores da pobre mulher, eles estavam tão focados no erro dela que se esqueceram que também eram pecadores. Veja o que Jesus ensinou em Mateus 7.4,5 – Como é que você pode dizer ao seu irmão: “Me deixe tirar esse cisco do seu olho”, quando você está com uma trave no seu próprio olho? 5 Hipócrita! Tire primeiro a trave que está no seu olho e então poderá ver bem para tirar o cisco que está no olho do seu irmão.

III – O SACRIFÍCIO PESSOAL DE UM DISCIPULADOR

Paulo demonstra em suas cartas o amor e sacrifício dedicado aos novos cristãos. A sua missão era gerar Cristo nas pessoas e ensiná-las a ser como Cristo, isso é discipulado. Para discipular alguém é necessário ter boa disposição no coração e estar pronto para o sacrifício.

  • I Tessalonicenses 2.8,11,20 – Nós os amávamos tanto, que gostaríamos de ter dado a vocês não somente a boa notícia que vem de Deus, mas até mesmo a nossa própria vida. Como nós os amávamos! 11 Vocês sabem que tratamos cada um como um pai trata os seus filhos. 20 Sim, vocês são o nosso orgulho e a nossa alegria!

Algumas vezes o discipulador é obrigado a repetir o processo de discipulado com alguém. Não se pode simplesmente dizer para alguém ausente que ele perdeu a chance, a vez. Há pessoas descrentes do evangelho e da igreja porque seus líderes não tiveram paciência para ensinar-lhes.

  • João 20.24, 29 – Acontece que Tomé, um dos discípulos, que era chamado de “o Gêmeo”, não estava com eles quando Jesus chegou. 27 Em seguida disse a Tomé: – Veja as minhas mãos e ponha o seu dedo nelas. Estenda a mão e ponha no meu lado. Pare de duvidar e creia!

O discipulador deve ser persistente com algumas pessoas. Não desista quando alguém deixar seu grupo ou estiver em dúvidas. Quantos pessoas capazes se perderam porque seus líderes não persistiram com elas. Exemplo: Já falei com ele várias vezes e não aprende; cansei de dar chances; etc.

  • João 21.14, 17 – Foi esta a terceira vez que Jesus, depois de ter sido ressuscitado, apareceu aos seus discípulos. 17 E perguntou pela terceira vez: – Simão, filho de João, você me ama? Então Pedro ficou triste por Jesus ter perguntado três vezes: “Você me ama?” E respondeu: – O senhor sabe tudo e sabe que eu o amo, Senhor! E Jesus ordenou: – Tome conta das minhas ovelhas.

O discipulador não desiste porque alguns discípulos desistiram de ser treinados. Todo discipulador deve estar emocionalmente e espiritualmente preparado para decepções, lembre-se que estamos lidando com pessoas e que todos nós estamos sujeitos a natureza adâmica. Quem não está preparado para decepções não deve se aventurar em discipular alguém, precisa primeiro orar ao Senhor e se curar.

Na parábola das sementes somente um quarto deram frutos; na carta de Paulo à Timóteo somente um quarto estava ao seu lado. Vejam que nos dois casos somente 25% de aproveitamento. Qual a percentagem você acha que irá alcançar?

  • II Timóteo 4.9-11 – Venha me ver logo que puder. 10 Pois Demas se apaixonou por este mundo, me abandonou e foi para a cidade de Tessalônica. Crescente foi para a província da Galácia, e Tito, para a região da Dalmácia. 11 Somente Lucas está aqui comigo. Procure Marcos e traga-o com você porque ele pode me ajudar no trabalho.

Na versão NTLH, usada pelo nosso ministério, encontramos 295 vezes a palavra ‘discípulo’ ou ‘discípulos’, em cada texto vemos Jesus praticando o discipulado através do ensino, questionamentos, oração, curar, atenção as pessoas, etc.

Nós estamos construindo um programa de discipulado sólido, resistente como a casa edificada sobre a rocha. O nosso manual e modelos estão nas escrituras, na vida de Jesus e dos apóstolos.

Atualmente, temos alguns programas que incentivam e apoiam a prática do discipulado, todos eles estão acessíveis aos membros da nossa igreja, exemplo: Escola Bíblica Dominical; Escola para Líderes; Treinamentos Ministeriais; Jornada de Jejum, oração e palavra; Núcleos Familiares; Cultos nos lares; etc.

Faça parte da nossa família na fé, participe!

Entre em contato: E-mail independenciacristo@gmail.com

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s