A Santa Ceia do Senhor


O texto de I Coríntios 11.27-34 trata da doutrina da Santa Ceia na igreja. Através desses versos, Paulo procura responder algumas questões que foram levantadas pela família de Cloé e que estavam suscitando dúvidas na igreja de Corinto. I Co 1.11 – Pois, meus irmãos, algumas pessoas da família de Cloé me contaram que há brigas entre vocês.

Essa passagem é importante porque nos mostra como era conduzido o ofício da Santa Ceia no primeiro século. As desordens em Corinto são tão graves que, quando a igreja se reúne para o sacramento, não é a ceia do Senhor que ela come. As desordens lhe deram um caráter diferente. Não é mais do Senhor. Verso 20 Quando vocês se reúnem, não é a Ceia do Senhor que vocês comem.

O que motivou o apóstolo Paulo escrever esse texto? Para compreender sua motivação devemos ler I Co 4.14 onde Paulo diz:  “- Não estou escrevendo essas coisas para envergonhar vocês, mas para ensiná-los como se vocês fossem meus próprios filhos queridos. ”

A sua motivação era esclarecer as dúvidas de uma igreja jovem, com um grande número de neófitos (novos crentes), onde muitos estava se desviando da doutrina verdadeira e causando confusão entre os irmãos.

  • Por esta razão, logo no início da carta Paulo esclarece que deseja trazer através dos seus ensinos a unidade doutrinária à igreja de Corinto, I Co 1.10 – Irmãos, peço, pela autoridade do nosso Senhor Jesus Cristo, que vocês estejam de acordo no que dizem e que não haja divisões entre vocês. Sejam completamente unidos num só pensamento e numa só intenção.
  • Uma das questões levantadas naquela igreja dizia respeito a Santa Ceia do Senhor. Embora Jesus tenha ordenada que a Ceia devia ser celebrada em sua memória, ele não esclareceu como ela deveria ser realizada.

O início do capítulo 11 começa falando sobre a autoridade que Cristo tem sobre o marido e que o marido exerce sobre a mulher. Sequencialmente, Paulo introduz o tema Ceia do Senhor no mesmo contexto, como se quisesse aproveitar o tema sobre ordem no casamento para falar da maneira indigna como alguns se portavam no momento da celebração da Ceia do Senhor.

  • Assim como há uma cadeia de comando no mundo espiritual começando por Deus, Jesus Cristo, Esposo, Esposa, etc… A Santa Ceia também deveria seguir uma ordem, considerando a sua grande importância para os cristãos. I Co 11.3 – Mas quero que entendam que Cristo tem autoridade sobre todo marido, que o marido tem autoridade sobre a esposa e que Deus tem autoridade sobre Cristo.

O MODO ERRADO COMO A SANTA CEIA ERA CELEBRADA INCLUÍA

Em primeiro lugar a desonra ao Senhor. Atitudes indignas: A palavra “indigno” (RC) atribuída nos versos 27 e 29 significa tornar a pessoa desmerecedora de celebrar a Ceia. Na versão NTLH essa palavra é substituída por “ofensa”, quer dizer afrontar a honra de outra pessoa, nesse caso a memória de Jesus.

  • A afronta na igreja de Corinto dizia respeito a desordem promovida por alguns cristãos que não esperavam pelos outros para comer. O pecado em questão não é a capacidade cognitiva relacionada ao aprendizado e compreensão do ato, mas a glutonaria desenfreada praticada pelos esfomeados cristãos naquela igreja, considerada por Paulo um agravo a ponto de classifica-los como indignos.

Em segundo lugar a profanação da Ceia por falta de conscientização. A falta de juízo ao comer e beber a Ceia sem reconhece-la como ato memorável da morte e ressurreição de Cristo trouxe graves consequências. Muitos estavam doentes, fracos espiritualmente e fisicamente.

Quando não há conscientização, reconhecimento da Ceia do Senhor, o juízo é inevitável. Há dois tipos de juízos:

  1. O juízo entre os homens – Rm 2.1: Meu amigo, não importa quem você seja, você não tem desculpa quando julga os outros. Pois, quando você os julga, mas faz as mesmas coisas que eles fazem, você está condenando a você mesmo.
  2. O juízo de Deus sobre os homens – Rm 2.3: Mas você, que faz as mesmas coisas que condena nos outros, será que você pensa que escapará do julgamento de Deus?

Nesse caso, Paulo esclarece que o juízo de Deus aplicado sobre os indignos não é para condená-los, mas para corrigi-los. Pode ser que alguns cristãos fossem corrigidos ou repreendidos por Deus, mas jamais condenados, visto que a ira de Deus está reservada para os incrédulos.

Algumas pessoas estavam desonrando o corpo do Senhor. Paulo estava se referindo diretamente a Ceia que representa o corpo e sangue do Senhor, I Co 10.16 – Pensem no cálice pelo qual damos graças a Deus na Ceia do Senhor. Será que, quando bebemos desse cálice, não estamos tomando parte no sangue de Cristo? E, quando partimos e comemos o pão, não estamos tomando parte no corpo de Cristo?

A igreja representa o corpo do Senhor, então se alguém toma a Ceia indignamente está ofendendo a comunhão da igreja que é o corpo do Senhor, I Co 10.17 – Mesmo sendo muitos, todos comemos do mesmo pão, que é um só; e por isso somos um só corpo.

A SOLUÇÃO PARA EVITAR O JUÍZO DIVINO ERA BEM SIMPLES (v.33) – Portanto, meus irmãos, quando vocês se reunirem para a Ceia do Senhor, esperem uns pelos outros.

  • A falta de ordem, dissensões, desrespeito e irreverência ao ato da ceia, deveria ser deixado de lado junto com o egoísmo dos mais apressados. Eles deveriam mudar suas atitudes, esperar uns pelos outros para participarem juntos da comunhão.

O problema concernente aos Coríntios nos toca diretamente, visto que devemos constantemente examinar a nós mesmos antes de comungar. Devemos pensar acerca de como está a nossa relação com o corpo de Cristo, a igreja.

Antes de tomar a Ceia devemos responder algumas perguntas acerca da nossa relação com Deus e com a igreja. Somente depois de responde-las satisfatoriamente segundo a vontade Deus estaremos aptos para participar do seu corpo e sangue.

  1. Como estamos tomando essa comunhão? Há reverência, ordem e reconhecimento do ato? Verso 28 – Portanto, que cada um examine a sua consciência e então coma do pão e beba do cálice.
  2. Qual é o nosso desejo em relação a igreja: servir ou ser servido? Mateus 20.28 – Porque até o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para salvar muita gente.
  3. Como é a nossa relação com os irmãos: tratamos a todos de modo igual ou fazemos acepção de pessoas baseados em suas riquezas, bens e posição social? I Pedro 3.8 – Finalmente, que todos vocês tenham o mesmo modo de pensar e de sentir. Amem uns aos outros e sejam educados e humildes uns com os outros.
  4. Aos que servem a Igreja. Nós servimos a igreja de Cristo por amor ou por interesses egoístas? Filipenses 2.3 – Não façam nada por interesse pessoal ou por desejos tolos de receber elogios; mas sejam humildes e considerem os outros superiores a vocês mesmos.

A passagem da Santa Ceia envolvendo a igreja em Corinto nos ensina doutrinas importantes sobre deixar de lado o egoísmo em nossas atividades diárias, de fazer as coisas pensando somente em nosso benefício próprio e começar a pensar mais na glória de Deus e em como podemos honrá-lo.

A mudança deve começar desejando no coração participar da Santa Ceia do Senhor. Esse é momento mais importante que a igreja pode viver na terra. Uma representação natural do que o espiritual nos reserva – comunhão eterna com Deus e a igreja.

O ato da Ceia não deve ser visto como uma coisa natural ou qualquer serviço litúrgico, ela é um rito solene, instituído pelo Senhor Jesus, carregado de profunda significação. Verso 26 – De maneira que, cada vez que vocês comem deste pão e bebem deste cálice, estão anunciando a morte do Senhor, até que ele venha.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s