Ouçam o que o Espírito de Deus diz às igrejas


A revelação que João recebeu na Ilha de Patmos (Apocalipse 2.1-7) para a igreja de Éfeso reflete a realidade da igreja em nossa época. Éfeso estava localizada na Ásia Menor. Era uma cidade rica, importante, cheia de imoralidades e idolatrias. Nela estava o templo de Diana, uma das sete maravilhas do mundo antigo. Ser cristão em Éfeso significava ser perseguido, principalmente porque eles combatiam as práticas pecaminosas e o culto ao imperador.

Sobre a igreja em Éfeso:

  • O apóstolo Paulo tinha um grande amor por essa igreja. Ele escreveu a carta de Éfeso quando estava preso, pela primeira vez, em Roma;
  • O jovem presbítero Timóteo e o apóstolo João foram pastores da igreja em Éfeso;
  • Quarenta anos se passaram. Surge a segunda geração de fieis e o que vemos é uma igreja fiel à doutrina, porém fria em seu amor a Deus;
  • A igreja em Éfeso estava sob ataque de satanás. O diabo tinha se infiltrado na igreja usando duas táticas terríveis, que muito se assemelha ao que ocorre em nossos dias nas igrejas: a perseguição (oposição) ou sedução (ecumenismo).

A mensagem de Cristo para a igreja de Éfeso

Cristo se apresenta a igreja como aquele que a tem nas mãos e anda no meio dela. Verso 1 – Ao anjo da igreja de Éfeso escreva o seguinte: Esta é a mensagem daquele que está segurando as sete estrelas na mão direita e que anda no meio dos sete candelabros de ouro.

Não há como negar que a presença de Cristo na igreja é a sua maior necessidade. Tudo que fazemos deve contar com a presença de Cristo: louvor; reuniões; mensagens; serviços:

  • Cristo é quem segura a igreja. Se estivermos em Cristo, nenhum poder poderá nos separar do Seu amor, Romanos 8.39b – Em todo o Universo não há nada que possa nos separar do amor de Deus, que é nosso por meio de Cristo Jesus, o nosso Senhor.
  • Cristo andando na igreja mostra que Ele nos conhece, sonda os corações, encoraja, repreende, ensina, exorta e ajuda. Filipenses 4.13 – Com a força que Cristo me dá, posso enfrentar qualquer situação.

Cristo elogia o posicionamento da igreja de Éfeso diante de algumas situações. Versos 22-3,6 – Eu sei o que vocês têm feito. Sei que trabalharam muito e agüentaram o sofrimento com paciência. Sei que vocês não podem suportar pessoas más e sei que puseram à prova os que dizem que são apóstolos, mas não são, e assim vocês descobriram que eles são mentirosos. 3 Vocês agüentaram a situação com paciência e sofreram por minha causa, sem desanimarem. 6 Mas vocês têm a seu favor isto: odeiam o que os nicolaítas fazem, como eu também odeio. 

A igreja em Éfeso era fiel na doutrina. Eles não se deixaram levar pelas novidades que surgiram naquela época. Enfrentaram com coragem os falsos apóstolos e eram intolerantes com as heresias e com a imoralidade. Os Nicolaítas representavam perigo à igreja. O evangelho que anunciavam era liberal, sem compromisso, eles apoiavam a imoralidade sexual, mundana e profana. A igreja não aceitou essa versão do cristianismo.

  • O mesmo ocorre em nossos dias. Vivemos tempos em que às pessoas vai a igreja cultuar como quem vai ao shopping olhar vitrines. O que determina o modelo da igreja não é mais a Bíblia, mas a moda do momento. É o cristianismo ao gosto da freguesia, que gera crentes analfabetos da Bíblia e espiritualmente ingênuos.

No verso 2 o Senhor diz: “Eu sei o que vocês têm feito…”. Os crentes em Éfeso praticavam o cristianismo, tinham profunda convicção acerca de Cristo. Éfeso era uma igreja envolvente e trabalhadora.

Perguntas que cada crente deve responder todos os dias:

  • O que Jesus diz a meu respeito?
  • Eu tenho praticado o verdadeiro cristianismo?
  • Como tem sido o meu testemunho no mundo?

A igreja em Éfeso era perseverante diante das tribulações. Eles eram impopulares. Por causa do posicionamento, muitos cristãos foram mortos. A igreja bravamente resistia.

  • Atualmente, muitas pessoas deixam a Cristo por qualquer coisa, não há perseverança. A igreja está mais preocupada com a sua imagem perante o mundo do que diante de Deus. Por isso, não se prega contra o pecado, aceitam o suborno e transformam o evangelho em produto comercial e os crentes em consumidores. Os crentes se tornaram clientes da igreja e não parte de um corpo.

A segunda geração de crentes em Éfeso difere dos primeiros cristãos. O Senhor os repreende por causa do seu esfriamento. Verso 4 – Porém tenho uma coisa contra vocês: é que agora vocês não me amam como me amavam no princípio.

Quando é que deixamos de amar a Deus?

  • Quando priorizamos o nosso conhecimento e trabalho acima do amor a Deus. Aqueles crentes se tornaram egoísta, sabiam tudo em matéria religiosa e doutrinária, menos o amor. Não eram capazes de perdoar e amar como Deus os amava. Eles perderam a simplicidade e esqueceram que para Deus o mais importante era o relacionamento que deveriam ter com ele. A oração é uma forma de se relacionar intimamente com Deus.
  • Quando substituímos o primeiro amor pelo zelo religioso. Eles eram capazes de morrer por suas convicções teológicas, mas estavam com os corações secos como o deserto. Eles eram teóricos ao extremo, mas faltava-lhes a emoção do amor. Não demonstravam para Deus o amor que tanto pregavam.
  • Quando abandonamos o primeiro amor olhamos mais para o erro do outro, do que para nossos próprios erros. A igreja de Éfeso tinha capacidade para identificar qualquer falso ensino, mas não era capaz de examinar a si mesma. Eles tinham conhecimento, mas não tinham amor.

Cristo oferece à igreja em Éfeso a oportunidade para recomeçar.

Versos 5,7 – Lembrem do quanto vocês caíram! Arrependam-se dos seus pecados e façam o que faziam no princípio. Se não se arrependerem, eu virei e tirarei o candelabro de vocês do seu lugar. 7 “Portanto, se vocês têm ouvidos para ouvir, então ouçam o que o Espírito de Deus diz às igrejas. “Aos que conseguirem a vitória eu darei o direito de comerem da fruta da árvore da vida, que cresce no jardim de Deus.”

  • Lembrem do quanto vocês caíram! Não se trata de relembrar o pecado do passado, mas de retornar ao ponto onde se desviou e recomeçar. O filho pródigo se lembrou da casa do pai e decidiu regressar.
  • Arrependam-se dos seus pecados. Tome uma decisão, tenha atitude. Arrepender significa romper. O filho pródigo se lembrou, rompeu com a sua condição e regressou para a casa do pai. Portanto, arrependimento não é ficar lembrando do que fez de errado e ficar chorando pelo erro, mas tomar um novo rumo, uma nova direção que te leve a Cristo.
  • Façam o que faziam no princípio. Não há arrependimento se você continua praticando os mesmos erros. O Senhor que você demonstre frutos do arrependimento, que dê testemunho verdadeiro da sua fé.
  • Se não se arrependerem, eu virei e tirarei o candelabro de vocês do seu lugar. A luz deve sempre brilhar, caso contrário ela perde seu valor. Como crente, você deve brilhar a luz de Cristo e isso somente é possível quando está ligado em Cristo. Se não estiver em Cristo, se não for para Cristo, se não for com Cristo, não tem valor – O Senhor remove para colocar outro no lugar.

2 Respostas para “Ouçam o que o Espírito de Deus diz às igrejas

  1. Pingback: Ouçam o que o Espírito diz às igrejas - Sermão Online·

  2. Pingback: Ouçam o que o Espírito diz às igrejas - Sermão Online·

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s