Escolhidos para a festa


Fim de ano, época de muitas festas. Acredito que a maioria de nós gostamos de festas: Churrascos, confraternizações, ceias, aniversários, casamentos, etc. Imagine o seguinte: Você convida um grupo de pessoas para a sua festa e quando chega o grande dia elas não comparecem, foi exatamente o que aconteceu com o Senhor dessa parábola. A sua indignação o levou a convidar pessoas antes desprezadas para que a sua festa fosse completa. Lucas 14.16-23

Jesus sempre gostou de festas. A presença dele garantiu o sucesso das bodas de Caná, muitas vezes ele falou em suas pregações sobre festas e banquetes numa clara demonstrou que Ele era festivo. Mas, a diferença entre muitas festas atuais e as festas com a presença de Jesus eram os resultados alcançados. Onde Jesus estava sempre acontecia algo de bom.

O capítulo 14 de Lucas começa afirmando que Jesus estava na casa de um fariseu tomando refeição e como sempre, Jesus não perdeu a oportunidade de comunicar o evangelho aquelas pessoas (v.15): Um dos que estavam à mesa ouviu isso e disse para Jesus: – Felizes os que irão sentar-se à mesa no Reino de Deus!

Assista o vídeo dessa mensagem:

JESUS APROVEITA A PERGUNTA DAQUELE HOMEM PARA ENSINAR UMA GRANDE LIÇÃO SOBRE A REJEIÇÃO DE ISRAEL E A FILIAÇÃO DOS GENTIOS.

A história retrata o modo como Israel se relacionava com Deus. Todas as vezes em que o povo prosperava financeiramente em tempos de paz, eles se esqueciam do Senhor Deus e se voltavam contra ele. Quando se arrependiam, o Senhor se compadecia deles e os abençoava novamente.

Do mesmo modo, muitas Nações cristãs se tornaram ricas e poderosas e acabaram se esquecendo do Senhor, quando as crises surgem, eles se arrependem e novamente o Senhor os abençoa.

Com as pessoas, de modo geral, não é diferente. Quando há riquezas, saúde e tudo vai bem, muitos se esquecem de agradecer ao Senhor e rejeitam o seu convite. As atenções para as coisas naturais os levam a desviar o foco das coisas espirituais.

  • Com a recusa dos primeiros convidados, aquele Senhor ordenou aos seus servos irem pelas ruas e becos da cidade e convidar os pobres, aleijados, cegos e coxos para a festa.

Era isso que estava acontecendo naquele tempo, enquanto os líderes religiosos criticavam Jesus e seus discípulos, os poderosos recusavam-se a ouvir a mensagem de Cristo. Mas, o povo sofrido, doente, desesperado, oprimidos viam em Jesus a esperança de um futuro melhor (Lucas 4.18,19).

Quando os servos retornam pela segunda vez, uma nova notícia: Ainda há lugar. A festa era muito grande e precisava de mais convidados. O Senhor ordena que saiam novamente pelas estradas e caminhos e obrigue a todos que encontrarem a virem para que a casa se encha e a festa seja completa.

O convite foi estendido para todas as pessoas. Agora qualquer pessoa poderia entrar. Nessa parábola vemos três classes de convidados:

  • Os que rejeitaram o convite – Israel;
  • Os pobres, aleijados, cegos e coxos das cidades e becos – Jerusalém, o início do cristianismo;
  • Qualquer pessoa a beira do caminho – todos os povos.

O QUE APRENDEMOS COM ESSA PASSAGEM BÍBLICA?

  • Temos um Senhor e ele preparou uma festa e morada para todos, João 14.2.
  • Nós representamos esse Senhor na terra. Portanto, temos a missão de convidar todas as pessoas para que venham à Grande Festa. I Pedro 2.9.
  • Muitos convidados irão recusar o convite e apresentarão inúmeras desculpas – II Timóteo 4.2-4.
  • A terceira missão dos servos incluía convidar todos os que encontrassem no caminho. O problema atual é que muitos cristãos passam muito tempo tentando convidar quem já está inscrito para a festa e se esquecem dos que estão à beira do caminho.
  • O termo usado por aquele Senhor foi – obrigar a todos, significa: forçar, impor, convencer, persuadir, conquistar, convidar com firmeza e de modo irresistível. As pessoas não cederiam facilmente ao convite, era precisa ter firmeza ao convidar alguém para a festa;
  • Os servos do Senhor ouvem todo tipo de desculpas daqueles que não se interessam pela Grande Festa. Cada pessoa que recusa o convite tem uma desculpa: família, trabalho, viagem, negócios, lazer, imoralidade e defeitos pessoais e dos outros, etc. Judas 1.4.
  • Recusar o convite do Senhor significa fechar as portas da graça. A sentença do Senhor, v.24 – Pois eu afirmo a vocês que nenhum dos que foram convidados provará o meu jantar!
  • Devemos ter cuidado com as nossas desculpas, às vezes podemos convencer a outras pessoas que estamos certos, mas não podemos enganar a Deus. O Senhor conhece os segredos mais íntimos do nosso coração, ele sabe o que pensamos, Salmos 139.1-4.
  • Não existe desculpa humana que possa nos justificar diante de Deus, Romanos 1.18-20.
  • A solução para todos nós: Deixar de lado as desculpas e aceitar o convite de graça do Senhor. Estar inscrito para a Grande Festa é um privilégio de quem foi escolhido, Mateus 22.14.

VOCÊ FOI ESCOLHIDO (A)?

Portanto, seja agradecido ao Senhor que te convidou e a quem te levou a casa do Senhor: Romanos 11.7; 15.10,11; Tiago 2.5.

Contribua com o nosso ministério através de depósito bancário no Banco Itaú – Agência 4807 – conta corrente 16747-5 – Assembleia de Deus Independente MICC

Se preferir pode doar pelo PagSeguro clicando no link https://pag.ae/7V9AtbrTM

Se preferir pode doar pelo PayPal 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s