Princípios da mordomia bíblica


Salmos 24.1 – Ao SENHOR Deus pertencem o mundo e tudo o que nele existe; a terra e todos os seres vivos que nela vivem são dele. A Bíblia é clara! Tudo pertence a Deus! Sendo assim, o que nós possuímos? Nada! A terra e os céus pertencem ao Senhor Deus, Ele é proprietário de tudo e consequentemente toda aquele que faz a vontade de Deus é seu mordomo na posse desses bens. Um dia, Deus nos responsabilizará pela forma como cuidamos das coisas que Ele colocou sob nossos cuidados.

Gênesis 1.26 fala sobre a ordem de Deus para Adão e Eva. Depois de criar o céu, a terra e todas as coisas, Deus deu a Adão e Eva o mandato para serem os guardiões do que Lhe pertence. Essa é a essência da administração bíblica, somos administradores dos bens que Deus nos confiou.

Quais são os princípios da administração bíblica?

  1. Princípio da propriedade. Salmo 24, Deus é dono de tudo, somos administradores agindo em seu nome. A mordomia expressa nossa obediência em relação à administração de tudo o que Deus colocou sob nosso controle, que é todo abrangente. Mordomia é o compromisso e reconhecimento que não temos o direito de controle sobre nossa propriedade ou sobre nós mesmos.
  2. Princípio da responsabilidade. Deus é dono de tudo, somos responsáveis ​​pela forma como tratamos e o que fazemos com Suas posses. O proprietário tem direito, os administradores têm responsabilidades. Os mordomos piedosos sabem que fazem o que fazem, não para agradar a homens, mas para agradar a Deus! As pessoas responsáveis ​​sabem que quando algo sai errado, elas aceitam a responsabilidade, aprendem com seus erros e seguem em frente com a vida. Você não pode aceitar a responsabilidade de amanhã fugindo dela hoje. Abraham Lincoln.
  3. Princípio da prestação de contas. Esta é a verdade ensinada pela Parábola dos Talentos em Mateus 25. Deus confiou a autoridade sobre a criação a nós e não nos é permitido governá-la como bem entendermos. Somos chamados a exercer nosso domínio sob o olhar atento do Criador, dirigindo sua criação de acordo com os princípios que ele estabeleceu. Como os servos da Parábola dos Talentos, seremos chamados para dar conta de como administramos tudo o que nos foi dado, incluindo nosso tempo, dinheiro, habilidades, informação, sabedoria, relacionamentos e autoridade. Todos nós prestaremos conta ao legítimo proprietário sobre como administramos bem as coisas que ele nos confiou.
  4. Princípio da fidelidade. Um bom mordomo é aquele que é cuidadoso e fiel na execução do seu trabalho. Mordomos fiéis não precisam de supervisão. Eles são fiéis na presença de seus chefes e na ausência deles. O maior teste da fidelidade de um mordomo é quando seus superiores estão ausentes. Na parábola do talento em Mateus 25, quando o chefe dos três servidores voltou a responsabilizá-los, apenas dois foram elogiados por sua fidelidade e trabalho árduo. Foi porque eles permaneceram fiéis na ausência de seu chefe. A fidelidade é uma marca da integridade de um mordomo. Deus não me chamou para ser bem-sucedido; Ele me chamou para ser fiel. Madre Teresa.
  5. Princípio da multiplicação. A multiplicação deve ser a manifestação orgânica da mordomia bíblica. Deus mede a fidelidade de um mordomo, não simplesmente por ser fiel àqueles acima deles, mas pela multiplicação. Dois servos na parábola do talento em Mateus 25 foram qualificados para serem chamados de “fiéis” porque eles tomaram o que lhes foi dado como mordomos e multiplicaram. Aquele que foi dado 5 devolveu 10; aquele que recebeu 2 devolveu 4. Agradamos o coração de Deus quando estamos nos multiplicando e o mundo está desfrutando dos frutos das contribuições de nossas vidas.
  6. Princípio da verdadeira riqueza. Lucas 16.11, o grau em que você pode ser honesto com o dinheiro (riqueza mundana) é o grau em que Deus pode confiar em você com suas verdadeiras riquezas. Quais são as verdadeiras riquezas de Deus? As pessoas são as verdadeiras riquezas que mais importam para Deus. Elas são as únicas coisas que têm valor eterno! Eles são o bem mais precioso de Deus! Nada mais importa para Deus neste mundo como as pessoas.
  7. Princípio da recompensa. Colossenses 3.23-24, aqueles que são fiéis ao Senhor nessa vida, serão recompensados aqui e principalmente no porvir. Nós precisamos abraçar essa visão bíblica mais ampla sobre mordomia, que vai além dos orçamentos da igreja ou dos projetos de construção, embora importante. Ela conecta tudo o que fazemos com o que Deus está fazendo no mundo. Precisamos ser mordomos fiéis de tudo o que Deus nos deu dentro das oportunidades apresentadas por meio de sua providência para glorificá-lo, servir ao bem comum e promover seu Reino.

Devemos entender que Deus é dono de tudo e nós somos apenas mordomos do que Ele confiou aos nossos cuidados. Sabendo também que somos responsáveis perante Deus por tudo o que nos é dado, devemos nos comprometer a ser fiel em todas as nossas responsabilidades e transparente em todas as nossas ações.

Seja um mantenedor deste Ministério

Ajude-nos a levar o evangelho para quem precisa ser alcançado e a contribuir para o ministérios dos pregam a Palavra de Deus.

R$100,00

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s