Um dia a menina disse …


Geralmente quando pregamos sobre II Reis, no capítulo cinco, focamos sempre no personagem Naamã. Poucas vezes ouvi alguém falar sobre a menina israelita, sem nome, que foi usada por Deus para que Naamã fosse curado e houvesse um tempo de paz entre Israel e a Síria.

É comum achar que se tivermos recursos, influência, habilidades especiais ou poder, seremos capazes de anunciar o evangelho para as pessoas. Porém, a história da menina escrava na casa de Naamã nos ensina que, quando servimos a Deus com fé, não é preciso ter para ser. Essa menina tinha pouca idade, era escrava e sem nenhum recurso a disposição.

  • Evangelizar é falar da sua fé para as pessoas, com o objetivo de revelar a bondade de Deus em favor delas.

Assista essa mensagem em vídeo

Naamã era o exemplo de vida perfeita para muitos. Ele estava vivendo seu apogeu, era uma figura política importante, militar bem-sucedido, oficial conceituado, valente, elogios, posição, reconhecimento, recursos, poder, família, servos etc, II Reis 5:1. Porém, a sua realidade era outra. II Reis 5:1b – Ele era um soldado valente, mas sofria de uma terrível doença da pele. O poderoso Naamã era uma pessoa comum e vulnerável como qualquer outro.

  1. A lepra era uma doença terrível e incurável que gerava preconceito e abandono social. As pessoas viam o leproso como alguém esquecido por Deus, predestinado a desgraça absoluta.
  2. Os leprosos podem ser comparados aos primeiros aidéticos nos anos 80, a aids era vista como uma doença terrível e temida. Os leprosos tinham que se afastar do convívio familiar e da sociedade, até que fossem curados.
  3. A lepra mostrou a Naamã a sua suscetibilidade, condição que permite contrair determinadas enfermidades. Não há lugar, por mais alto e seguro que seja, que alguém não possa cair.
  4. Naamã poderia esconder sua lepra por um período, mas com o seu agravamento chegaria o tempo onde todos saberiam da sua condição. Ele era, na verdade, um leproso.
  5. Ocultar determinados problemas não traz soluções, geram sofrimento interior. Naamã era poderoso perante as pessoas, mas em sua casa se mostrava frágil.
  6. Naamã, provavelmente, estava buscando uma cura. Algumas pessoas sabiam da sua condição, mas a solução estava fora do seu alcance. Se nada fosse feito, em algum momento todos saberiam da sua condição.
  7. Há o sofrimento psicológico, naquela época morrer numa batalha era honroso, mas morrer leproso era uma vergonha. As pessoas diziam que o leproso foi abandonado por Deus.

Do outro lado da história, a menina escrava, ouve o que está acontecendo na casa de seu senhor. Embora não tivesse bens e honrarias, ela possui algum precioso – a sua fé em Deus. Ela é uma pessoa melhor que Naamã, não porque era jovem e saudável, mas porque servia ao Deus de Israel.

Não é o que você tem que diz quem você é, mas o que está no coração que revela seu verdadeiro eu.

ALGUMAS LIÇÕES IMPORTANTES QUE PODEMOS APRENDER COM ESSA PASSAGEM:

  1. A menina possuía um coração amoroso. As circunstâncias que a levaram até a Síria poderiam criar o ódio em seu coração, mas ao invés disso, ela demonstra compaixão pelo seu senhor. Ela tem uma solução que pode aliviar o seu problema. O que você faria se tivesse a chance de ajudar alguém que te prejudicou?
  2. A menina não guardava rancor no coração. Naamã se tornou escravo de uma enfermidade que o levaria a degradação social e morte física sem honra. Ao invés de olhar para ele e desejar seu mal, ela pensa – “ah, se ele conhecesse o meu Deus, tudo seria diferente.”
  3. A menina demonstrou generosidade. O que ela tinha, ela repartiu com o seu senhor. Mas, o que aquela menina poderia fazer para curar o seu senhor? Ela era estrangeira, escrava que se alimentava das sobras da mesa do seu senhor…
  4. Os métodos de Deus são extraordinários. Deus usa pessoas coisas consideradas desprezíveis para confundir aqueles que acham que são importantes. I Coríntios 1:27,28. Ela sabia que na sua terra tinha um profeta, homem de Deus, que poderia curar Naamã e dividiu a informação com ele.
  5. A menina era uma pessoa cheia de fé. Ela diz: “Senhora, se, o meu Senhor, procurasse o profeta que mora em Samaria, tenho certeza de que ele o curaria da lepra” (II Reis 5:3 NBV-P). Ela não tem dúvidas, ela conhece o seu Deus e o profeta.
  6. Devemos aproveitar as oportunidades que surgem, alguém poderá ser impactado pela nossa fé. A menina não se importou com a sua posição de escrava, II Timóteo 4:2.

Naamã precisava ser curado de duas enfermidades: a primeira era física; a segunda estava relacionada ao seu orgulho. Ele achava que o seu dinheiro poderia comprar a sua cura, II Reis 5:5-6.

  • O Orgulho confrontado pela verdade que ensina, aos olhos de Deus todos são iguais. O profeta Elizeu disse ao rei de Israel para enviar Naamã para falar com ele. Porém, quando Naamã chegou, Elizeu enviou um empregado para dizer a ele que se banhasse 07 vezes no rio Jordão. Naamã revela o seu orgulho, quando diz (II Reis 5:11b) – Eu pensava que pelo menos o profeta ia sair e falar comigo e que oraria ao Senhor, seu Deus, e que passaria a mão sobre o lugar doente e me curaria. 12 Além disso, por acaso, os rios Abana e Farpar, em Damasco, não são melhores do que qualquer rio da terra de Israel? Será que eu não poderia me lavar neles e ficar curado? E foi embora muito bravo.

Naamã foi salvo pelo bom senso dos seus servos. Algumas pessoas preferem a parte mais difícil, o sacrifício ao invés da obediência, pagar quando a graça lhe é oferecida, II Reis 5:13 – Então os seus empregados foram até o lugar onde ele estava e disseram: – Se o profeta mandasse o senhor fazer alguma coisa difícil, por acaso, o senhor não faria? Por que é que o senhor não pode ir se lavar, como ele disse, e ficar curado?

A obediência é o caminho para a cura. Naamã decide ouvir seus empregados e obedecer a ordem do homem de Deus. Ele desce até o rio Jordão (Yarden – descer, correr, fluir) II Reis 5:14 – Então Naamã desceu até o rio Jordão e mergulhou sete vezes, como Elizeu tinha dito. E ficou completamente curado. A sua carne ficou firme e sadia como a de uma criança.

O milagre de Naamã não tinha preço. O Milagre teve início no dia em que Naamã ouviu a palavra da menina escrava em sua casa. II Reis 5:15c – Aceite um presente meu, por favor. 16 – Elizeu respondeu: – Juro pelo Senhor, o Deus vivo, a quem sirvo, que não aceitarei nenhum presente. Naamã insistiu com ele para que aceitasse, mas ele não quis.

A menina escrava foi a grande responsável pelo processo de cura de Naamã. O resultado da sua ação se encontra em II Reis 5:15b – Agora eu sei que no mundo inteiro não existe nenhum deus, a não ser o Deus de Israel.

  • Um dia a nação daquela menina foi invadida, ela foi tomada do seu lar e levada prisioneira. Porém, Deus a estava dirigindo para que através do seu testemunho Naamã o reconhecesse como Deus maior.

Ao evangelizar alguém, você contribuirá para que essa pessoa conheça a Deus e tenha a oportunidade de ser salva. Romanos 10:13b-15 – Todos os que pedirem a ajudo do Senhor serão salvos 14 Mas como é que as pessoas irão pedir, se não crerem nele? E como poderão crer, se não ouvirem a mensagem? E como poderão ouvir, se a mensagem não for anunciada? 15 E como é que a mensagem será anunciada, se não forem enviados mensageiros? As escrituras Sagradas dizem: Como é bonito ver os mensageiros trazendo boas notícias!

Seja um mantenedor deste Ministério

Ajude-nos a levar o evangelho para quem precisa ser alcançado e a contribuir para o ministérios dos pregam a Palavra de Deus. Inscreva em nosso canal no Youtube.com/IndependenciaCristo

R$100,00

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s