Tudo o que Deus faz tem propósitos


Os capítulos 1 e 2 até o verso 11 falam sobre Ana, uma mulher que teve experiências profundas com Deus em sua época, onde a esterilidade era vista como maldição.

I – Os dois inimigos que Ana enfrentou:

  • Os inimigos externos envolviam a sua família e a sociedade. Ela sofreu com o preconceito e o desprezo das pessoas porque não podia gerar filhos.
    • Naquela época os homens podiam se casar com mais de uma mulher. Por isso, o seu esposo Elcana tinha uma segunda esposa por nome Penina que constantemente provocava e humilhava Ana por ser estéril. Verso 6: Penina, sua rival, provocava e humilhava Ana porque o SENHOR não permitia que ela tivesse filhos.
    • Todos os anos Elcana subia com as duas esposas à Siló para adorar no Templo e oferecer sacrifícios ao Senhor Deus. Embora Elcana tratasse Ana com respeito e amor, ela sempre retornava para casa chorando por causa das provocações de Penina e, provavelmente, de outras mulheres no Templo.
  • Os Inimigos internos causavam grande sofrimento mental e físico à Ana, incapaz de gerar filhos. Embora Ana desejasse ser mãe, o seu corpo não correspondia ao seu desejo, ela tinha sido privada do privilégio de ser mãe.
    • Emocionalmente ela estava fragilizada, os seus sonhos foram interrompidos e seus projetos pessoais para o futuro eram humanamente inalcançáveis.

II – Por que Deus permite determinadas situações?

Por duas vezes (versos 5 e 6) temos a afirmação que Deus não permitiu que Ana tivesse filhos. Ou seja, a causa da sua esterilidade é que Deus não permitiu que ela se tornasse mãe.

Já ouvi muitas vezes as pessoas dizer o seguinte: Por que Deus não me permite tal coisa?

  • Ana, aparentemente, era uma mulher saudável, tinha um bom esposo e condições para ser uma pessoa do ponto de vista religioso, social e econômico bem sucedida.
  • As aparências enganam. Ana não tinha tudo que desejava. E, sua carência por não ter filhos, lhe causava uma tristeza profunda.
  • É provável que você já tenha ouvido a expressão: o dinheiro, a influência, a religião não podem comprar tudo.

Assista a mensagem em vídeo em, a partir dos 25 minutos do vídeo

03 perguntas que algumas pessoas costumam fazer:

I – Por que fulano é assim? Certa ocasião, as pessoas perguntaram para Jesus acerca de um homem que nasceu cego. João 9:2 – Mestre, por que este homem nasceu cego? Foi por causa dos pecados dele ou por causa dos pecados dos pais dele?

  • Jesus respondeu que ninguém era culpado, mas que Deus permitiu que ele nascesse cego por um propósito, João 9:3 – Ele é cego, sim, mas não por causa dos pecados dele nem por causa dos pecados dos pais dele. É cego para que o poder de Deus se mostre nele.

II – O que digo diante de uma situação impossível? Eu fico imaginando qual era a resposta de Ana quando ela ia ao Templo e as pessoas lhe perguntava: por que você não tem filhos?

  • Provavelmente em nossos dias a sua resposta independente de qual fosse, seria respeitada. Mas, naquela época, as pessoas viam uma mulher estéril como alguém amaldiçoada, o seu marido podia se separar dela por esse motivo e ela seria vista como desprezada pela sociedade.

III – Por que o Senhor permitiu? Quando Lázaro morreu, Jesus demorou 4 dias para visitar as suas irmãs. Marta e Maria quando se encontraram com Jesus disseram as mesmas palavras (João 11:21,32) – Se o Senhor estivesse aqui, o meu irmão não teria morrido. Elas atribuíram a morte de Lázaro a ausência de Jesus.

  • De fato, Jesus não estava presente fisicamente. Porém quando ele recebeu a notícia sobre a doença de Lázaro, imediatamente enviou a seguinte mensagem para as suas irmãs (João 11:4) – O resultado final dessa doença não será a morte de Lázaro. Isso está acontecendo para que Deus revele o seu poder glorioso; e assim, por causa dessa doença, a natureza divina do Filho de Deus será revelada.
  • Quando Lázaro morreu, Jesus comentou com seus discípulos o seguinte, João 11:15 – mas eu estou alegre por não ter estado lá com ele, pois assim vocês vão crer. Vamos até a casa dele.
  • Quando Jesus ordenou que tirassem a pedra do túmulo, Marta o interrompeu dizendo – Senhor, ele está cheirando mal, pois já faz quatro dias que foi sepultado (João 11.39).
  • A morte de Lázaro tinha um propósito que estava prestes a ser revelado, então Jesus respondeu para Marta – Eu não lhe disse que, se você crer, você verá a revelação do poder glorioso de Deus (João 11.40).

III – Como Ana reagiu diante da impossibilidade de gerar filhos?

  1. Ela não se entregou aos inimigos exteriores e interiores. Sempre que retornava do Templo, ela chorava intensamente e ficava dias triste e sem comer, mas em nenhum momento ela murmurou contra Deus.
    • Ela tinha o objetivo de ser mãe e por isso aprendeu a superar os insultos, a esterilidade, o espírito atribulado, a tristeza, o choro, a aflição, a ansiedade, os falatórios e a crítica.
  1. Ela decidiu orar a Deus. Ela foi a presença de Deus aflita, chorando e clamou ao único que podia mudar a sua história. A sua oração foi longa e silenciosa. Há momentos em que para falar com Deus a melhor linguagem é o silêncio dos lábios e o quebrantamento do coração (I Samuel 1:12,13).
    • Deus nunca despreza aquele que entra na sua presença com arrependimento e humildade. No Salmos 51:17 – Ó Deus, o meu sacrifício é um espírito humilde; tu não rejeitarás um coração humilde e arrependido.
  1. Ana tinha um propósito firme sobre o que queria de Deus. Não havia lugar para dúvidas em seu coração. Ela não queria outra coisa além de um filho. A pessoa que tem um propósito firme sempre alcança o que deseja. A sua oração começa com a seguinte expressão – Se tu me deres um filho.
    • Algumas pessoas não alcançam o que desejam, mesmo orando, porque tem dúvidas do que querem. O Apóstolo Tiago declarou que a pessoa que tem dúvidas (Tiago 1:6) – é como as ondas do mar, que o vento leva de um lado para o outro.
    • Quando o mendigo cego clamou por misericórdia, Jesus lhe perguntou – o que é que você quer que eu faça? Então o cegou declarou que queria ver novamente e Jesus lhe disse – Veja! Você está curado porque teve fé.
    • Ana creu nas palavras profetizadas por Eli – Vá em paz. Que o Deus de Israel lhe dê o que você pediu! 18 – Que o senhor sempre pense bem de mim! – respondeu ela. E Então comeu alguma coisa e já não estava tão triste (I Samuel 1:17:18).
  1. Ela fez um voto priorizando a glória de Deus – prometo que o dedicarei a ti por toda a vida e que nunca ele cortará o cabelo (I Samuel 1:11b). Será que ela teria feito essa promessa se não fosse estéril? Se ela pudesse ter quantos filhos desejasse, será que se lembraria do Senhor da mesma maneira?
    • O fato de Deus fechar o seu ventre para que Ana não gerasse filhos, provocou uma reação positiva nela. Ela descobre o segredo de depender de Deus. Sobre isso Jesus declarou aos discípulos, João 15:5 – Eu sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido comigo e eu com ele, esse dá muito fruto porque sem mim vocês não podem fazer nada.
  1. Ela desejou um filho para servir à Casa de Deus. Embora o texto não diga, o sacerdócio estava carente de novos e bons sacerdotes, Ana não hesitou em oferecer o seu filho ao Senhor, versos 27,28:Eu pedi esta criança a Deus, o SENHOR, e ele me deu o que pedi. 28 Por isso agora eu estou dedicando este menino ao SENHOR. Enquanto ele viver, pertencerá ao SENHOR. Então eles adoraram a Deus ali.
    • Lembro-me de um adesivo que as pessoas costumavam colocar em seus carros – “propriedade do Senhor” ou “a serviço do Senhor”, mas na verdade Deus nunca teve participação nesses negócios, pois quando alguém necessitado precisa de uma carona, tal pessoa se esquivava e caia fora.
  1. Ela se portou com humildade perante o sacerdote quando ele a chamou de embriagada. Ela não foi arrogante ou demonstrou estar revoltada com Deus. I Samuel 1:15,16 – Senhor, – respondeu ela -, eu não estou bêbada. Não bebi nem vinho nem cerveja. Estou desesperada e estava orando, contando a minha aflição ao SENHOR. 16 Não pense que sou uma mulher sem moral. Eu estava orando daquele jeito porque sou muito infeliz e sofredora.
  2. A obediência de Ana gerou a promessa que se cumpriu com o nascimento de Isaque. Porém, ao entregar seu único filho ao Senhor conforme prometera, Deus a abençoou concedendo outros filhos. I Samuel 2:21 – E o SENHOR abençoou Ana, e ela teve mais três filhos e duas filhas. E o menino Samuel crescia no serviço de Deus, o SENHOR.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s